|
|
|
|

03-06-2019 - MEC autoriza a criação de 50 novos cursos superiores de graduação no país

O Ministério da Educação (MEC) autorizou a criação de 50 cursos superiores de graduação em várias cidades do país. No total, as instituições de ensino superior (IES) solicitantes podem oferecer, agora, mais de 5 mil vagas por ano com novos cursos, dentre eles, Biomedicina, Odontologia, Nutrição, Marketing, Design Gráfico e Direito. A lista completa pode ser conferida na portaria publicada nesta sexta-feira, 31 de maio, no Diário Oficial da União (DOU). Para solicitar a liberação de um novo curso superior no mercado, a instituição precisa entrar em contato por meio do e-MEC e cumprir com pré-requisitos como a taxa de avaliação in loco, feita pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC. As instituições de ensino também devem apresentar projeto pedagógico do curso, número de vagas, os turnos, a carga horária, o programa do curso, as metodologias, as tecnologias e os materiais didáticos, relação de docentes, entre outros. Após avaliação do MEC, aos cuidados da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), o processo é encaminhado para o Inep, que vai até à instituição para fazer a vistoria e dar uma nota de 1 a 5 ao curso. Apenas aqueles que obtiverem nota igual ou maior que 3 recebe autorização para funcionar. Mesmo assim, quesitos importantes, como o corpo de docentes, precisam ter uma boa avaliação, independente da nota geral. Tudo para que o curso oferecido tenha a garantia de qualidade ao público. Além disso, alguns cursos precisam de mais um reconhecimento, em caráter opinativo: o de seus conselhos federais e nacionais. São os casos das graduações de Direito, Medicina, Odontologia, Psicologia, Enfermagem e Direito. Como são muitos os processos de requisição de novos cursos e todos eles precisam ser publicados no Diário Oficial da União, eles saem em lotes, como foi o caso da Portaria Nº 234 (29 de maio de 2019), autorizando a criação destes novos 50 cursos de graduação. A Seres vem trabalhando em 2019 para dar um melhor andamento aos processos, que anteriormente demoravam, pelo menos, dois anos para serem concluídos. Renovação – Após o reconhecimento dos cursos por parte do MEC, as instituições de ensino superior precisam renovar o pedido para que possam emitir diplomas da graduação em questão. O pedido deve ser feito no período compreendido entre 50% do prazo previsto para integralização de sua carga horária e 75% desse prazo, observado o calendário definido pelo MEC. Acesse aqui a portaria Assessoria de Comunicação Social. Fontes: MEC (31.05.2019) e Revista Gestão Universitária.

24-05-2019 - Aluna do RS fica em primeiro na maior feira de ciências do mundo

Com a pesquisa sobre o aproveitamento da casca de noz macadâmia para curativos de ferimentos da pele ou para embalagens, a brasileira Juliana Estradioto ganhou o 1º lugar na área de Ciência dos Materiais, na Intel International Science and Engineering Fair (Isef). Esta é a maior feira de ciências para pré-universitários do mundo. Natural de Osório, município do Rio Grande do Sul com cerca de 40 mil habitantes, a recém-formada no curso Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), conta em entrevista ao Portal MEC o que consiste o estudo e qual foi a experiência em participar da premiação. O material, biodegradável, substitui os sintéticos, como sacolas plásticas. A ideia é ter um produto sustentável, com custo baixo, produzido a partir de resíduos com destinação ao lixo. A premiação da jovem, de 18 anos, foi anunciada na última sexta-feira, 17, durante o evento que ocorreu dos dias 12 a 17, em Phoenix, Estados Unidos. Mais de 1,8 mil estudantes de ensino médio de 80 países passaram pela feira. Confira a entrevista. Você pode descrever brevemente a pesquisa? Primeiro peguei a casca de noz macadâmia e produzi uma farinha que utilizei como se fosse realmente o alimento para os microrganismos, responsáveis por produzir a membrana celulose bacteriana, um material biológico que é incrível. A membrana da macadâmia possui características, como flexibilidade e resistência, que permitem a utilização em curativos para pele queimada ou machucado. Outro uso possível é na elaboração de embalagens para o recolhimento de fezes de cachorro, em substituição ao plástico. E os custos com os produtos e a pesquisa? A casca de noz macadâmia é um resíduo da agroindústria, do processamento da noz. Então, recebo como doação porque iria para o lixo. Os custos com reagentes e laboratório são por conta do instituto [Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, o IFRS]. Como surgiu o projeto?

23-05-2019 - CORREIO DA BAHIA: Bolsonaro discorda de Rui Costa.

Bolsonaro discorda de Rui sobre estudantes ricos pagarem em universidades públicas. Presidente também disse que 'diploma não é garantia de emprego. Durante um café da manhã com jornalistas nesta quinta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro discordou da ideia do governador Rui Costa de que as famílias mais ricas paguem pelo estudo de seus filhos em universidades públicas do país. Na visão do líder nacional, esta medida “espantaria” os estudantes com esse perfil familiar para faculdades de outros países, como Portugal. “Se as universidades públicas começarem a cobrar R$ 3 mil em mensalidade dos alunos, vai ter fuga em massa nos cursos de graduação do Brasil. Eu sou contra uma medida como esta, porque o pai vai preferir pagar para o filho estudar em outros países”, disse o presidente da República. Bolsonaro também disse que acredita mais na eficácia de um “bom curso técnico” nas chances de alguém conseguir um emprego do que em um curso superior. “Diploma na parede não é garantia de emprego”, afirmou Bolsonaro, que voltou a defender o aporte de mais recursos no ensino básico. Nessa quarta (22/04), o governo se viu obrigado a recuar da decisão de bloquear recursos destinados à Educação. O Ministério da Economia informou que vai usar uma parte da chamada “verba de contingência”, um total de R$ 5,37 bilhões, para compensar a perda de arrecadação estimada neste ano e, assim, recompor o orçamento da Educação e do Meio Ambiente, alvos de cortes. Fonte: Jornal Correio da Bahia, edição de 23/05/2019, on line.

16-05-2019 - NAS VEREDAS DA TEORIA CRÍTICA DA CONTABILIDADE, SOB A ÓTICA METODOLÓGICA

Aviso: o artigo em epígrafe, já postado neste site, foi publicado na Revista Acadêmico Mundo Multidisciplinar, ano 6, número 8, edição anual de dezembro de 2018, ISSN 23181494, http:/www.academicomundo.org

15-05-2019 - Universidades devem ter maior autonomia financeira.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse ser necessário assegurar maior autonomia financeira às universidades. Para ele, deve ser permitida uma maior busca de patrocínios, aproximar as instituições de empresas, dos investimentos, sem cobrar mensalidade dos alunos. “Por que uma grande empresa de comunicação, uma empresa que produz algo, não pode ser patrona de uma instituição de ensino? De um campus? De diversos campi?”, questionou, em café da manhã com jornalistas no Ministério da Educação (MEC) nesta terça-feira, 14. O ponto é a liberdade para buscar recursos. O ministro usa como exemplo as incubadoras de startups. São estimuladas, aparecem os investidores, e isso pode resultar na criação de grandes empresas. É fomentar o setor produtivo a partir das instituições de ensino. Uma das diretrizes da atual gestão do MEC é “mais Brasil, menos Brasília”, no sentido de alocar recursos para estados e municípios fomentarem os ensinos fundamental, médio e técnico. Para o ensino superior, a ideia é melhorar os gastos. Em 40 dias à frente do ministério, Weintraub reuniu-se com os 27 secretários estaduais de Educação, cerca de 50 reitores e diversos representantes municipais. Contingenciamento – Abraham Weintraub voltou a observar que não há corte no orçamento para as universidades. Os recursos estão contingenciados. O governo deve seguir as previsões mensais da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e, portanto, tem feito esse tipo de ação em diversas pastas. O montante depende do rumo da economia. A Lei Orçamentária Anual de 2019, elaborada pela gestão passada, previa crescimento de 2,5% — tem sido abaixo. Com olhos em metas para o país, o governo tem administrado os recursos à espera da aprovação da Nova Previdência no Congresso. “O contingenciamento vem de uma receita. É técnica, é lei. No orçamento geral há uma previsão de receita mês a mês. Havia uma previsão de crescimento de 2,5%. Esse crescimento está vindo abaixo nos 3 primeiros meses”, disse Weintraub, que é professor e economista. Fontes: Assessoria de Comunicação Social - MEC (14.05.2019) e Revista Gestão Universitária.

13-05-2019 - Inep abre para audiências públicas discussão sobre editais dos exames e avaliações

A partir de agora, deverão abrir para audiências públicas todos os editais de avaliações e exames realizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A medida irá viabilizar o conhecimento prévio e o debate acerca das ações da autarquia, levando informações à sociedade sobre os editais antes de sua publicação. Por meio da Portaria nº 397, publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 13 de maio, o Inep disciplina o formato de todas as audiências públicas que tenham como objetivo informar sobre diretrizes e normatizações do Instituto. Os resultados das audiências públicas serão analisados a fundo, para possíveis aprimoramentos das iniciativas do Inep. De acordo com sua pertinência, as contribuições irão auxiliar na formulação e publicação dos editais relacionados. “Essa iniciativa mostra a preocupação do Inep em ampliar a instrução dos processos para melhores decisões”, destaca o presidente do Inep, Elmer Vicenzi. “As secretarias estaduais e municipais poderão participar das discussões, manifestar suas propostas ao Inep e ao Ministério da Educação. A comunidade acadêmica e os estudantes também poderão participar, apresentando contribuições, por exemplo, sobre as diretrizes do Enem”, celebra. Novas regras – As audiências públicas deverão ser convocadas pelo presidente do Inep, por meio de chamamento no Diário Oficial da União, com o mínimo de dez dias de antecedência de sua realização. Informações sobre o objetivo da audiência, data, local, duração, forma e inscrição também serão divulgadas no portal e redes sociais do Instituto. Qualquer pessoa ou instituição poderá participar, desde que se inscreva previamente. Após as audiências, a área técnica envolvida deverá se posicionar sobre as manifestações recebidas em até 20 dias, prazo que poderá ser prorrogável por mais dez. O parecer deverá ser oficializado por meio de nota técnica. Confira a Portaria nº 397 Fontes: Assessoria de Comunicação Social – INEP e Revista Gestão Universitária.

07-05-2019 - Inep recebe inscrições para o Enem 2019 em sistema inovador e mais interativo

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 começaram desde às 10h desta segunda-feira, 6 de maio. O sistema de inscrição criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para a 22ª edição do Exame é mais interativo e traz entre as novidades o formato de chat com orientações diretas sobre todo o processo. A interface também é mais amigável e o sistema permite upload opcional de foto do participante. Para auxiliar os interessados, o Inep preparou um passo a passo da inscrição, com descrição de todas as etapas. As inscrições ficam abertas até 23h59 do dia 17 de maio, na Página do Participante, que pode ser acessado pelo endereço enem.inep.gov.br/participante. Deve ser considerado o Horário de Brasília – DF. O presidente do Inep, Elmer Vicenzi, conta que a equipe de tecnologia interagiu com pessoas dos mais variados perfis para criar um sistema que, segundo ele, inova na relação entre o governo e sociedade. “Quando o Inep assumiu o desafio de agregar mais inovação a um processo como o Enem, apostando num sistema que é inovador no Governo Federal, foi por acreditar que é possível investir numa lógica mais disruptiva no setor público, agregando componentes que já são utilizados em redes sociais e iniciativas do setor privado”, explica o presidente. O exame traz outras novidades neste ano. Pela primeira vez, inscritos surdos, deficientes auditivos e surdocegos poderão indicar no sistema, durante a inscrição, o uso do aparelho auditivo ou de implante coclear, o que lhes facilitará a participação em condições adequadas. Em relação à segurança, outra inovação fará com que, neste ano, qualquer emissão de som de aparelhos eletrônicos, ainda que desligados e guardados em envelope próprio, leve à eliminação imediata de seu portador, para coibir eventuais tentativas de fraude. A revista prévia em todos os lanches levados no dia de aplicação está garantida e também visa maior segurança. Na aplicação, também é novidade o espaço para rascunho no final do caderno de questões. Ele será pautado para rascunho da redação e sem pauta para os cálculos. Vicenzi destaca ainda o compromisso da autarquia em garantir tranquilidade e segurança aos participantes do exame: “Nós estamos trabalhando com muita seriedade para que o cronograma siga dentro do previsto pelo edital e tomando todas as providências para que os participantes tenham à disposição uma prova elaborada com qualidade técnica, aplicada de maneira segura e isonômica nos mais 1.700 municípios de aplicação e, aproximadamente, 11 mil locais de prova em todo o Brasil”, conta. Os interessados em fazer o Enem precisam se inscrever, inclusive quem solicitou a isenção da taxa de inscrição. Para os pagantes, a taxa de inscrição no valor de R$ 85 deve ser paga até 23 de maio. Até 17 de maio o participante poderá atualizar dados de contato, trocar o município de provas, mudar a opção de Língua Estrangeira e alterar atendimento especializado e/ou específico. Após essa data, nenhuma informação pode ser alterada. As provas serão aplicadas em dois domingos, em 3 e 10 de novembro.

02-05-2019 - Procura-se um Novo Patrono, por Wolmer Ricardo Tavares

Existe uma máxima que é “deixe os outros pensarem que é um imbecil, não precisa fazê-los ter certeza” e isso não tem sido aplicado no atual governo. Imbecilidades ditas e feitas têm sido uma constante na área da educação, e tudo isso é com o intuito de melhorar a educação pública, todavia, este viés nos levará para uma seara estéril em tecnologia e desenvolvimento econômico, visto que o investimento também nas áreas humanas contribuirá para o desenvolvimento de nossa economia[1]. Uma das maiores estultices está sendo na busca de um novo patrono para educação brasileira, e o pior é gente que comprar este discurso sem nexo como um deputado federal para justificar tanta falta de conhecimento em relação área da educação a ponto de questionar e pedir para os “esquerdistas” falarem qual foi o legado de Paulo Freire. Para responder isso, não precisa ser da esquerda, só precisa ser um pesquisador, acadêmico, educador e/ou conhecedor da história da educação brasileira. Para os néscios de plantão, ou seja, para os que desconhecem o seu trabalho na área da educação, Paulo Freire foi um educador reconhecido mundialmente. Ele recebeu 29 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades da América e Europa, dentre vários prêmios como Educadores Cristãos, Educadores para a Paz, e foi também a primeira pessoa a receber o prêmio King Baudouin International Development Prize. Este prêmio tem como objetivo o reconhecimento quanto à contribuição duradoura para a justiça, a democracia e o respeito à diversidade, e demonstra que a pessoa que o recebeu teve como objetivo servir à sociedade. Para complementar, Paulo Freire é educador, pedagogo e filósofo. Ele nada mais é que terceiro teórico mais citado em trabalhos acadêmicos no mundo. O legado dele para quem não sabe, fez jus ao título e isso não tem nenhuma ligação com esquerda, direita ou centro. É simplesmente o fruto de muita dedicação e trabalho, embora não reconhecido por idiotas que acreditam ser ele um facista. Quanta estultice!!! Hoje procuram por um novo Patrono, um que tenha um legado, mas já que Paulo Freire não serve, porque não colocarmos Darci Ribeiro ou até mesmo Anísio Teixeira como patrono? Ah, estes também devem ser fascistas, esquerdistas, comunistas, etc... Coloquemos então alguém autodidata que prega a teoria do terraplanismo, da não existência do combustível fóssil, ou de outra estapafúrdia sem o cunho da ciência. Freire em seu livro Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa, publicado pela Paz e Terra em 1996, é enfático ao afirmar que “não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino” e isso vem a corroborar as falas de Antônio Cláudio Lucas da Nóbrega, reitor da UFF (Universidade Federal Fluminense), quando diz que “não dá para fazer pesquisa de alto nível sem luz e água”, ou seja, como fazer com que o ensino das universidades federais atinja o esperado se sequer as mesmas terão o mínimo para isso? Como o governo quer melhorar o ensino das Universidades Federais contingenciando 30% de seus recursos? Ele quer fazer um sucateamento das mesmas com a desculpa para futuramente privatizá-la? Porque tal atitude deveria ser vista pelo governo como um ato crasso, já que a pesquisa pode ser tanto voltada para área de tecnologia e principalmente para uma função social definida, conforme ressalta Romanelli em seu livro: História da Educação, publicado pela Vozes em 2003, já que as mesmas não poderão contar mais com tal verba e principalmente pela segregação das áreas humanas. [1] http://www.gestaouniversitaria.com.br/artigos/da-descentralizacao-a-idiotizacao. Fonte. www.wolmer.pro.br

29-04-2019 - Descubra quando a emoção é patológica e veja nove dicas para não ser tão ciumento(a)

Você tem medo excessivo de perder alguma pessoa próxima? Tenta controlar o dia a dia do outro? Cria situações imaginárias que levam a conclusões sem sentido? Busca interferir nas relações pessoais e profissionais do outro? Se respondeu sim a alguma dessas questões é possível que seja uma pessoa ciumenta. Mas, calma, o estado emocional faz parte do cardápio diário de milhões de pessoas de todas as classes sociais, culturas, religiões, raças e idades. Pode, inclusive, surgir em qualquer relação, segundo o psiquiatra e escritor Augusto Cury: entre casais, irmãos, amigos, profissionais, adultos e crianças. “O ciúme é um fantasma emocional tão antigo quanto a própria existência humana”, afirma o pesquisador em seu livro Ansiedade 3: Ciúme. Especialistas consideram o ciúme uma variação da ansiedade. Tal como o distúrbio de saúde mental, ele faz com que nos antecipemos a possíveis situações de perdas e danos – reais ou imaginárias. Também é uma emoção parecida com a inveja. A diferença é que ciúmes é uma estratégia preventiva: você sente isso de algo que é seu ou que está com você, enquanto sente inveja de algo que quer ter. “Faz parte das relações não só amorosas como interpessoais. Tem a ver com o zelo, com você ter o cuidado com o outro. Mas isso é quando é ‘saudável’”, explica a psicóloga e atriz Fernanda Veiga, ressaltando que o sentimento tem um lado destrutivo quanto outro construtivo. Ela palestrou – ao lado da advogada Camila Garcez e da historiadora Fabiane Lima – na segunda edição do projeto Bora Conversar?!, que aconteceu na última quinta, no Ravel Café, em Salvador, e trouxe ciúme como tema da roda de diálogo. O sentimento é irracional e quase inerente ao ser humano, pontua a psicóloga. Muita gente, inclusive, já sente ciúme das figuras paternas quando nasce um irmãozinho ou até mesmo da mãe, quando o pai está por perto. Mais tarde, pode surgir o ciúme de amigos e de parceiros afetivos. Na própria historiografia ocidental existe a dúvida se o ciúme é biológico ou se é criado pelo ser humano. “A cultura e o contexto histórico contribuem muito para essas sensações. Quando a gente inventou o amor, a gente inventou a ideia de que um indivíduo nasceu para o outro, o que reforça a monogamia e a relação de posse”, explica a historiadora Fabiane Lima. Segundo a historiadora, na contemporaneidade, começamos a quebrar isso com as relações abertas, poliamor, etc. Ela cita ainda registros de ciúmes desde a pré-história - quando a mulher tinha a função de procriar e o homem de conseguir alimento - até recentemente, quando a mulher ainda era vista como posse do homem. “Precisamos sempre fazer recortes de gênero e de raça. Ao homem, nessa sociedade patriarcal, é reservada a questão financeira da casa, de gerir essa família. Perder a mulher é perder um bem material”, afirma. Ao mesmo tempo, historicamente, as mulheres sempre se expressaram mais do que homens: “Os homens matam mais e as mulheres criam mais situações”.

25-04-2019 - CFC: 25 de abril – dia do Profissional da Contabilidade

Uma das profissões mais importantes do País comemora, hoje, (25 de abril), os seus 90 anos, desde que foi instituída, em maio de 1926, por João de Lyra Tavares, patrono dos profissionais da contabilidade. Representada pelo Sistema CFC/CRCs – Conselho Federal de Contabilidade e Conselhos Regionais de Contabilidade –, a classe registra mais de 527 mil profissionais em plena atividade e esse número cresce a cada ano. Em 2010, por força da Lei n.º 12.249 – uma das grandes conquistas da categoria –, o termo “contabilista” foi extinto e passou-se a adotar a terminologia “profissional da contabilidade”, referindo-se aos técnicos e contadores. Segundo dados do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), há, no Brasil, 334.145 mil contadores e 193.476 técnicos em contabilidade. Diferentemente do passado que o contador era visto como arcaico e meramente burocrata, observa-se, atualmente, um profissional mais arrojado, que deseja aproximar informações e utilidade gerencial para suas organizações e clientes. “A Ciência Contábil e o seu profissional evoluem juntos. É uma tendência natural, visto que a Contabilidade entrou na era da informação”, (COELHO, 2016). Após o registro definitivo – obtido por meio do Exame de Suficiência – o contador poderá trabalhar em várias áreas de atuação, com destaque para auditor, perito contábil, analista e consultor financeiro “. A Contabilidade é uma das áreas que mais oferecem oportunidades no cenário atual, pois necessita de profissionais altamente capacitados e com visão estratégica. Essa homenagem é para lembrar não somente os profissionais nesse dia tão importante, mas a sociedade, que tem ao seu dispor um agente fomentador por um país mais justo e transparente. Fonte: CFC.