|
|
|
|

31-10-2020 - PARA REFLETIR: em dez anos, 40% dos que iniciaram um curso o concluíram!

Levantamento revela desafios para aumentar a produtividade na graduação. Rede estadual possui a maior taxa, com 52% de concluintes entre 2010 e 2019 Em média, 40% dos estudantes que entraram no nível superior concluíram a graduação, no mesmo curso em que ingressaram, entre 2010 e 2019. Por outro lado, a taxa de desistência acumulada é de 59%, no mesmo período. Os dados fazem parte do Censo da Educação Superior 2019. Os resultados da pesquisa foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e pelo Ministério da Educação (MEC), na última sexta-feira, 23 de outubro. Ainda segundo os indicadores de fluxo revelados pelo levantamento, 1% dos estudantes permanece no curso iniciado uma década antes. Por meio do censo, é possível acompanhar os índices de conclusão, desistência ou permanência dos estudantes, em um curso, ao longo do tempo. Vale ressaltar que um determinado aluno pode sair do curso, concluindo ou desistindo da graduação. Para Carlos Eduardo Moreno Sampaio, diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, os números revelados pelo levantamento são fundamentais para a implementação de políticas que visem ao aumento da produtividade do sistema de ensino, no que diz respeito a produzir concluintes na educação superior. “É um problema estrutural da educação brasileira, verificado a partir do acompanhamento da trajetória dos estudantes ao longo dos anos. O Brasil tem uma baixa produtividade”, pontuou Moreno. Redes de ensino – Na rede privada, 37% dos estudantes que ingressaram na educação superior, em 2010, concluíram o curso até 2019. Já na rede federal, o percentual é maior: 46%. A rede estadual se destaca pela maior produtividade, com 52% de concluintes entre 2010 e 2019. Presencial e remoto – Quando se trata de estudantes de cursos presenciais e remotos, o Censo da Educação Superior mostrou que a taxa de conclusão é próxima, quando comparadas as modalidades de ensino. De acordo com o levantamento, 40% dos ingressantes em cursos presenciais concluíram a graduação que iniciaram em 2010 até 2019. No caso dos alunos da modalidade remota, 36% finalizaram o curso. Gênero – Outro aspecto revelado pela pesquisa é a maior produtividade por parte das mulheres. Dos perfis monitorados, elas correspondem a 43% dos concluintes do mesmo curso em que ingressaram, quando se trata da década 2010-2019. Os homens representam 35%. Financiamento – O censo mostra ainda que, entre os alunos que contam com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), cerca de 61% conseguem concluir o curso que iniciaram. Por outro lado, a taxa de concluintes entre os estudantes da rede privada que não usufruem do financiamento é de 36%. No caso dos alunos que fazem parte do Programa Universidade para Todos (ProUni), 59% conseguem concluir a graduação. Em contraponto, 36% dos que não possuem o financiamento finalizam o nível superior. Censo da Educação Superior – O objetivo do levantamento é oferecer informações detalhadas sobre a situação e as tendências do setor, assim como guiar as políticas públicas de educação. Após a divulgação, os dados passam a figurar como estatísticas oficiais da educação superior. O censo subsidia a formulação, o monitoramento e a avaliação de políticas públicas da educação superior, além de contribuir para o cálculo de indicadores de qualidade, como o Cálculo Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos (IGC). A atuação do Inep se concentra na apuração, na produção e no tratamento das estatísticas. Acesse: Portal do INEP e MEC Apresentação | Censo da Educação Superior 2019 Microdados | Censo da Educação Superior 2019 Notas Estatísticas | Censo da Educação Superior 2019 Sinopse Estatística | Censo da Educação Superior 2019 Tabelas de Divulgação | Censo da Educação Superior 2019 Indicadores de Fluxo da Educação Superior Fontes: Assessoria de Comunicação do Inep - 29.10.2020 e Revista Gestão Universidade.

30-10-2020 - Urgente! Prazo para atualização cadastral do PDDE encerra-se hoje (30/10), às 23:59

Unidades executoras precisam atualizar seus cadastros para receber valores do programa neste ano O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) iniciou o pagamento do Programa Dinheiro Direto na Escola - PDDE Básico 2020 para as Unidades Executoras Próprias – UEx (Conselhos Escolares, Associação de Pais e Mestres ou similares) que realizaram a atualização cadastral no sistema PDDEweb (https://fnde.gov.br/pdde/) a partir de fevereiro. Entretanto, ainda existem UEx que não atualizaram seus cadastros. O prazo é até hoje (30/10) Conforme estabelece a Resolução CD/FNDE nº 6, de 27 de fevereiro de 2018, para receber os recursos do PDDE, as entidades precisam atualizar seu cadastro, além de regularizar eventuais pendências de prestação de contas, anualmente, até o último dia útil de outubro. Além de ser condição para recebimento dos recursos, a atualização cadastral é importante para que a autarquia possa enviar orientações sobre a execução do PDDE e das Ações Agregadas, mantendo as entidades informadas sobre novidades do programa. Também é requisito para o recebimento dos valores do PDDE Emergencial, que provê necessidades prioritárias dos estabelecimentos de ensino em função da calamidade provocada pela pandemia da COVID-19. Tais recursos podem ser aplicados na adequação das estruturas e aquisição de materiais necessários para seguir o protocolo de segurança, com vistas à reorganização do calendário escolar e retomada das atividades presenciais. O PDDE Emergencial é um recurso a mais que será depositado na conta PDDE Qualidade. O passo a passo para a atualização cadastral está disponível no portal do FNDE, em http://www.fnde.gov.br/programas/pdde/area-para-gestores/atualizacao-cadastral. PDDE O Programa Dinheiro Direto na Escola destina valores diretamente às escolas, sem intermediários, com o objetivo de dar assistência financeira às instituições da educação básica das redes estaduais, municipais e do Distrito Federal, e às escolas privadas de educação especial mantidas por entidades sem fins lucrativos. O dinheiro é investido em melhoria da infraestrutura física e pedagógica, reforço da autogestão escolar e elevação dos índices de desempenho da educação básica. Fontes: Assessoria de Comunicação Social do FNDE - 28.10.2020, Revista Gestão Universitária e Portal – Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos (www.lcsantos.pro.br)

28-10-2020 - Retorno à Atividades Presenciais (Educação Superior) e Excepcionalidades (Estado da Bahia)

Conselho Estadual de Educação da Bahia (CEE-BA) Parecer nº 94/2020 – Aprovado pelo pleno na 1087ª sessão do Pleno, DOE de 28/10/2020 - Resolução CEE Nº 48, de 06 de outubro de 2020. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1°. O retorno às atividades presenciais deve orientar-se, de forma rigorosa, pelas normas públicas explicitadas pelas autoridades sanitárias, reiterados os expedientes correlatos ao protocolo de procedimentos por elas definidos, conexo às responsabilidades respectivas para com as normas de biossegurança para cada rede de ensino, com alcance em cada instituição educativa. [...] Da Especificidade da Educação Superior Art. 17 Ficam autorizadas as Instituições de Ensino Superior pertencentes ao Sistema Estadual de Ensino a adotar protocolos de biossegurança, medidas de reorganização de currículos e projetos pedagógicos dos cursos de graduação, reorganização de calendário letivo e formato de atividades de ensino, enquanto durar a situação de emergência em saúde pública decorrente da pandemia do novo coronavírus − Covid-19, na forma especificada nesta Resolução. Art. 18 As Universidades, no âmbito da sua autonomia, decidirão sobre o retorno às atividades presenciais e a reorganização do calendário acadêmico, conforme o disposto no caput do Art. 3º da Lei Federal N.º 14.040, de 18 de agosto de 2020. Art. 19 Ficam autorizadas as Instituições de Ensino Superior pertencentes ao Sistema Estadual de Ensino a totalizar o cômputo da carga horária de atividades pedagógicas não presenciais (mediadas ou não por tecnologias digitais de informação e comunicação), realizadas de forma concomitante ao período das aulas presenciais, quando do retorno às atividades. §1º A oferta de atividades não presenciais deve ser prestada com base no princípio de igualdade de condições e de acesso e permanência dos sujeitos envolvidos, conforme preconiza o Art. 206 da Constituição Federal. §2º Os projetos pedagógicos dos cursos presenciais que sofrerem alteração com a inclusão de atividades não presenciais, por meio de ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) e outros recursos tecnológicos e metodologias pertencentes ao campo da Educação a Distância (EaD) deverão ser encaminhados aos órgãos competentes para apreciação. [...] Salvador, 06 de outubro de 2020. Paulo Gabriel Soledade Nacif Presidente do CEE/BA Homologado pelo Excelentíssimo Senhor Secretário de Estado da Educação da Bahia, em 26/10/2020. DECRETO Nº 20.073 DE 27 DE OUTUBRO DE 2020 Altera o Decreto nº 19.528, de 16 de março de 2020, na forma que indica. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso da atribuição que lhe confere o inciso V do art. 105 da Constituição Estadual, D E C R E T A Art. 1º - O Decreto nº 19.528, de 16 de março de 2020, passa a vigorar com a seguinte modificação: “Art. 1º - ................................................................................................ ................................................................................................................. II - servidores acometidos por doenças respiratórias em atividade e doenças crônicas que não estejam sob controle, desde que afetados órgãos-alvo que impliquem em aumento do risco, bem como servidores comprovadamente acometidos por, pelo menos, 01 (uma) das seguintes patologias ou condições clínicas: a) diabetes insulinodependente; b) insuficiência renal crônica; c) doença pulmonar obstrutiva crônica - DPOC, enfisema pulmonar, asma moderada ou grave, tuberculose ativa ou sequela pulmonar decorrente de tuberculose; d) doença cardíaca grave, insuficiência cardíaca e hipertensão arterial sistêmica severa; e) obesidade mórbida com Índice de Massa Corporal - IMC igual ou superior a 40 (quarenta); f) cirrose ou insuficiência hepática; g) doença falciforme, exceto traços da doença. ......................................................................................................” (NR) Art. 2º - O Anexo Único do Decreto nº 19.528, de 16 de março de 2020, passa a vigorar na forma do Anexo Único deste Decreto. Art. 3º - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA, em 27 de outubro de 2020. RUI COSTA Governador

24-10-2020 - PROFESSOR FORMADOR – VAGAS

AVISO Nº 082/2020 - O Reitor da UNEB no uso de suas atribuições legais e regimentais torna público a abertura das inscrições, para o Processo Seletivo Simplificado para a função de Professor Formador, que integrará a Equipe Multidisciplinar, no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), executado pela Unidade Acadêmica de Educação a Distância (UNEAD) desta Universidade, no período de 03 a 23 de novembro de 2020, conforme especificado no Edital. O EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 051/2020 está disponível em www.selecao.uneb.br/editais2020.

22-10-2020 - Urgente! Seleção Pública - Tutor presencial

AVISO Nº 080/2020 - Republicação do Edital nº 026/2020, referente ao Aviso nº 032/2020, publicado no DOE de 11/03/2020 - Processo Seletivo Simplificado para a função de Tutor Presencial com atuação nos cursos implantados no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) e ministrados pela Unidade Acadêmica de Educação a Distância (UNEAD) desta Universidade, com alterações disponíveis em http://www.selecao.uneb.br/editais2020. AVISO Nº 081/2020 - Republicação do Edital nº 027/2020, referente ao Aviso nº 078/2020, publicado no DOE de 20/10/2020 - Processo Seletivo Simplificado para a função de Professor Formador, bolsista, com atuação nos cursos implantados no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) e ministrados pela Unidade Acadêmica de Educação a Distância (UNEAD), com alterações disponíveis em http://www.selecao.uneb.br/editais2020.

21-10-2020 - Médicos - Mesa redonda aborda revalidação de diploma

O exame, realizado desde 2011, avalia competências, habilidades e conhecimentos necessários ao exercício da medicina no Sistema Único de Saúde (SUS) Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) foi discutido nesta sexta-feira, 16 de outubro, durante o 58º Congresso Brasileiro de Educação Médica (Cobem), evento realizado de forma virtual e organizado pela Associação Brasileira de Educação Médica (Abem). O Revalida foi criado em articulação dos ministérios da Educação e da Saúde, em 2011, com o objetivo de subsidiar os procedimentos de revalidação de diplomas médicos obtidos no exterior, conduzidos por universidades públicas, de acordo com a Portaria n.º 278, de 17 de março de 2011. O exame avalia conhecimentos, habilidades e competências necessários ao exercício da medicina. Durante a mesa redonda, que tinha como assunto “Revalidação de diplomas: resposta a emergências sanitárias ou ação planejada e regular?”, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, ressaltou a importância da realização do Revalida e o aprimoramento da avaliação. “A avaliação tem vários aspectos e permite a comparabilidade entre as instituições. O Revalida é pauta de discussão não apenas no Inep, mas para o ministro da Educação e o presidente da República”, afirmou Lopes. Gerson Alves Pereira Júnior, da Comissão Assessora de Avaliação da Formação Médica do Inep, destacou o processo de construção da avaliação, desde os conteúdos que devem ser abordados na elaboração dos itens até a aplicação da prova. “A comissão define, entre outras atividades, as competências a serem avaliadas, como a capacidade e a habilidade que o indivíduo tem de desempenhar determinada tarefa”, ressaltou Júnior. O exame é composto por duas etapas. A primeira é uma avaliação escrita com 100 questões de múltipla escolha e uma prova discursiva, com 5 questões. Já na segunda e última etapa, o participante deve executar dez tarefas para uma banca examinar suas habilidades para o exercício da função médica, tais como a investigação de história clínica, a interpretação de exames complementares, a formulação de hipóteses diagnósticas, a demonstração de procedimentos médicos, o aconselhamento a pacientes ou familiares, entre outras. Moaci Carneiro, diretor de Avaliação da Educação Superior do Inep, ressaltou que a Lei n.º 9.394/1996, que institui o Revalida, reconhece o exame como política de Estado. “O volume de ações e o impacto na execução do programa devem ser considerados. O Inep busca fazer uma análise técnica com o intuito de reforçar o Revalida como política pública de Estado”, destacou Carneiro, que lembrou a necessidade de “pacificação jurídica” do Revalida, com o reconhecimento do Inep como órgão responsável pelo exame. Fontes: Inep em 19.10.2020 e Revista Gestão Universitária.

17-10-2020 - CAPES apresenta sistema de avaliação do PrInt

Evento virtual atraiu pró-reitores e técnicos das 36 IES participantes do Programa CAPES/PrInt A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) promoveu nesta quarta-feira, 14, o II Workshop para Gestores do Programa CAPES-PrInt. O evento virtual, feito para apresentar a plataforma para coleta de informações do desenvolvimento do Programa Institucional de Internacionalização (PrInt), foi dividido em duas partes: pela manhã, pró-reitores das 36 instituições de ensino superior (IES) conheceram o sistema e puderam tirar dúvidas sobre seu uso. À tarde, técnicos das mesmas IES receberam instruções quanto à sua preparação. Durante a abertura, Benedito Aguiar, presidente da CAPES lembrou a importância do Programa para o desenvolvimento científico e tecnológico do País. Para ele, “o melhor resultado que podemos ter com o PrInt é elaborar projetos conjuntos de pesquisa que aumentem o fator de impacto das publicações internacionais”. O gestor encorajou a comunidade científica a trabalhar em conjunto para assegurar a execução das ações previstas, assim como das que, afetadas pela pandemia de COVID-19, precisem de mudanças. “Que possamos, juntos, contribuir para o desenvolvimento social e econômico do nosso País, por meio da ciência, tecnologia e inovação”, concluiu. Heloisa Hollnagel, diretora de Relações Internacionais (DRI), explicou que esse sistema foi pensado para facilitar a coleta de dados das instituições participantes. “Por ser integrado ao Sistema de Controle de Bolsas e Auxílio (SCBA), permite reduzir o esforço para o preenchimento das informações”, explicou. A plataforma é preparada para atender aos requisitos previstos no edital do PrInt e, possivelmente, estará pronta para testes em novembro, “para que as informações que já estão em andamento não sejam perdidas”, explicou Emerson Maccari, coordenador-geral de Bolsas e Projetos da DRI. Sistema A plataforma para a coleta de dados dará subsídio à construção coletiva de indicadores para a avaliação intermediária do PrInt. Para registro da internacionalização institucional, foram criados três módulos: dois de preenchimento e um de resultados. No primeiro eixo, Compromisso Institucional, serão incluídos dados que apontem o incentivo à construção, execução e consolidação de planos estratégicos de internacionalização. O segundo módulo, Parcerias e Redes de Pesquisa, receberá informações para estimular a formação de redes de pesquisas internacionais, melhorando a qualidade da produção acadêmica brasileira e promovendo a mobilidade de professores e alunos. Por fim há o Sumário Executivo, local onde o sistema vai gerar um relatório consolidado dos cinco aspectos mais relevantes de cada tema e objetivos dos dois módulos anteriores. Programa O PrInt é uma iniciativa da CAPES para aumentar a visibilidade das universidades e da pesquisa brasileira a partir da cooperação internacional. O Programa induziu as instituições a formularem um plano de internacionalização, estabelecendo um marco inovador e decisivo para a internacionalização das universidades brasileiras. A íntegra do workshop estará disponível em breve. Fontes: Assessoria de Comunicação Social da Capes - 15.10.2020 e Revista Gestão Universitária

09-10-2020 - Inscrições para doutorado na Alemanha vão até semana que vem

Interessados devem preencher formulário on-line até as 17 horas A sexta-feira da próxima semana, 16 de outubro, é a data-limite para inscrições no Programa CAPES/DAAD. Interessados devem preencher formulário on-line até as 17 horas daquele dia. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e o Serviço Alemão de Intercâmbio oferecerão (DAAD), em parceria, até 45 bolsas de doutorado. A CAPES financiará um máximo de dez bolsas. Serão até duas de doutorado pleno, de até €116.360,00, até três de doutorado-sanduíche com cotutela, de até €46.180,00, e até duas de doutorado-sanduíche sem cotutela, de €23.730,00. O restante, até 35, será pago pelo DAAD. Os valores dos benefícios concedidos pela agência germânica seguem as normas daquele país, que podem ser conferidas aqui, aqui e aqui (https://daad.de/go/en/stipa57140602). Interessados nas bolsas devem seguir as normas do DAAD, bem como o Regulamento Geral de Bolsas no Exterior da CAPES. Outros pré-requisitos incluem ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente no Brasil, não ter título de doutor, não receber ou ter recebido bolsa para a mesma modalidade, não acumular bolsas e possuir confirmação formal de orientação de instituição alemã. Os benefícios para os bolsistas incluem mensalidades, passagens ou auxílio-deslocamento, auxílio-instalação, seguro-saúde, adicional de localidade (quando cabível) e auxílio-dependente. Ainda serão financiadas taxas acadêmicas e administrativas para os estudantes de doutorado pleno. Para orientadores brasileiros e alemães, serão pagas diárias e passagens ou auxílio-deslocamento. O Programa CAPES/DAAD apoia a formação de professores e pesquisadores de alto nível estimulando a cooperação acadêmica e o intercâmbio científico entre o Brasil e a Alemanha, contribuindo para a mobilidade entre universidades alemãs e brasileiras. Confira o Edital nº 17/2020 (https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/04092020_edital17_2020daad.pdf) Legenda da imagem: O Serviço Alemão de Intercâmbio (DAAD) é parceiro da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em programa que concede bolsas de doutorado no país germânico (Foto: Divulgação) Fontes: CCS/CAPES), 08.10.2020 e Revista Gestão Universitária

08-10-2020 - Webinário abordará formação profissional para a transformação digital – hoje à tarde – inscreva-se!

O evento será promovido em parceria com o MCTI e a Delegação da União Europeia no Brasil O uso intensificado de tecnologias tem gerado profundas transformações no mundo do trabalho. Para abordar esse novo contexto, o Ministério da Educação (MEC), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Delegação da União Europeia no Brasil, realizará o ‘Webinário UE-Brasil: formação profissional para a transformação digital’. O evento ocorrerá de forma virtual, nesta quinta-feira (8), entre 14h e 16h, e as inscrições estão abertas aos interessados, saiba mais ( http://www.sectordialogues.org/webinario-ue-brasil_formacaoprofissionaltransformacaodigital.php) O webinário discutirá a implementação de estratégias de formação profissional que visem impulsionar o desenvolvimento de recursos humanos e a integração tecnológica, aliadas às mudanças nas relações de trabalho inerentes à indústria. Essa nova realidade exige competências e habilidades diferentes dos profissionais envolvidos no processo. O evento faz parte do projeto ‘Políticas e Programas para a Formação Profissional para enfrentar a Digitalização da Indústria’, desenvolvido no âmbito dos Diálogos Setoriais União Europeia-Brasil. A iniciativa visa promover o intercâmbio de melhores práticas entre atores europeus e brasileiros na formulação e execução de políticas públicas em áreas estratégicas para a educação profissional e a ciência, a fim de reforçar os recursos humanos no Brasil. Os resultados do encontro virtual subsidiarão a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do MEC no desenvolvimento de ações educacionais para o mundo 4.0 e no planejamento das ações de apoio a redes de ensino para implementação do Itinerário da formação técnica e profissional, introduzido pela Lei nº 13.415/2017, que alterou a estrutura do ensino médio. Fontes: Revista Gestão Universitária e Assessoria de Comunicação Social com informações da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação (MEC). - 06.10.2020

03-10-2020 - Fundaj abre seleção pública de instrutores para ministrar cursos online de curta duração

Inscrições já podem ser realizadas no email cursos.difor@fundaj.gov.br e ficam disponíveis até o dia 13 de outubro A Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), por meio da Diretoria de Formação Profissional e Inovação (Difor), abre uma seleção pública de instrutores para ministrar cursos online de curta duração ofertados pela Escola de Inovação e Políticas Públicas (EIPP), no período de novembro de 2020 a janeiro de 2021. As inscrições já podem ser realizadas a partir desta quinta-feira, 1º de outubro, e seguem até o dia 13 deste mês, exclusivamente via email – cursos.difor@fundaj.gov.br. Podem se inscrever e participar deste processo de seleção pessoas físicas, com vínculo com a União ou sem vínculo público, desde que estejam aptas a serem contratadas pela Administração Pública Federal. O resultado será divulgado oficialmente no site da Fundaj: www.fundaj.gov.br. Os cursos acontecerão remotamente, na plataforma Google Meets da EIPP, e terão duração de até 30 horas, sendo quatro horas a título de remuneração pela elaboração e cessão de direitos autorais do material de apoio a ser utilizado. Seis cursos estão disponíveis – Gestão de Projetos de Economia Criativa; Implementação de Políticas Públicas Culturais; Elaboração de Projetos Culturais; Noções de Empreendedorismo Cultural; Lei Geral de Proteção de Dados para o Setor Público; Noções básicas de relações institucionais e governamentais sob a ótica da participação e controle social na elaboração de políticas públicas. A inscrição do/a candidato/a poderá ser realizada para um ou mais cursos, sendo que cada um exige apresentação específica e individualizada da proposta. O/a participante interessado/a receberá um e-mail de confirmação do processo seletivo em até 48 horas após a inscrição. Em seguida, o/a candidato/a encaminhará seu currículo e a proposta de curso (nome do curso, justificativa, objetivos, metodologia, recursos didáticos, forma de avaliação e professor). A formação e a titulação acadêmica e a experiência profissional em atividades de instrutoria na temática do curso proposto e em cursos ministrados por meio de plataformas de ensino à distância devem constar no currículo. Vale ressaltar que os/as participantes aprovados/as serão contratados/as exclusivamente para o período específico do curso. Serviço Prazo: 1º de outubro a 13 de outubro de 2020; E-mail para inscrição (gratuita): cursos.difor@fundaj.gov.br; Cursos: Gestão de Projetos de Economia Criativa; Implementação de Políticas Públicas Culturais; Elaboração de Projetos Culturais; Noções de Empreendedorismo Cultural; Lei Geral de Proteção de Dados para o Setor Público; Noções básicas de relações institucionais e governamentais sob a ótica da participação e controle social na elaboração de políticas públicas; Observação: a inscrição do/a candidato/a poderá ser realizada para um ou mais cursos, sendo que cada um exige apresentação específica e individualizada da proposta; Realização: novembro de 2020 a janeiro de 2021 Fontes: Assessoria de Comunicação Social da Fundação Joaquim Nabuco - 01.10.2020 e Revista Gestão Universitária

|<  <<  1 2 3 4 5 6 7 8 9   >>  >|