|
|
|
|

15-01-2020 - Olá pretendente ao ensino superior na modalidade EaD

Eis algumas informações importantes: Como funcionam aulas EaD? Quando a gente fala de faculdade e ensino superior, as primeiras coisas que vêm à cabeça são o campus, a sala de aula, as experiências no laboratório, os trabalhos em grupo… certo? Bem, tudo isso é importante para o processo de aprendizagem, mas se você está apostando em outras modalidades de ensino, pode estar se perguntando como funcionam as aulas EaD. Imagine que existe uma possibilidade onde as mesmas coisas acontecem, só de que uma forma mais prática, com liberdade de horário e sem precisar se deslocar até a instituição de ensino superior. As aulas em EaD são assim, incluem todo o necessário para seu aprendizado, só que aproveitando a tecnologia da atualidade. Como funciona o EaD? O ensino a distância está pensado para proporcionar toda a carga de conhecimentos necessária para a formação de um profissional apto a desenvolver seu trabalho, mas otimizando o aprendizado por meio de ferramentas e soluções que deixam o processo mais dinâmico. Confira quais são: AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) O AVA dá praticamente todo o suporte necessário para que as atividades acadêmicas se desenvolvam. Quando alguém se pergunta como funcionam as aulas EaD, pode estabelecer um paralelo sobre quando precisa de alguma informação e vai procurar na internet. Vídeos, textos, infográficos, tudo isso ajuda a responder perguntas, certo? Isso acontece porque já aprendemos a estudar virtualmente. Já não dissociamos tanto o que se aprende em suportes físicos do que somos capazes de encontrar na internet. O AVA organiza as informações da graduação a distância (https://ead.ucs.br/) e é onde boa parte das atividades se desenvolve. Seja em relação aos conteúdos, avaliações, módulos ou mesmo debates, há espaços virtuais organizados especificamente para este fim. Sobre as avaliações e outros recursos Sobre as avaliações em si, algumas podem ser feitas de forma virtual, também no Ambiente Virtual de Aprendizagem. Mesmo assim, o Ministério da Educação (MEC) orienta que um mínimo de 20% de toda a carga horária de um curso seja desenvolvida de forma presencial. Por isso, algumas atividades, inclusive provas, são feitas localmente. Mas como nem tudo é aula ou exame, também o AVA proporciona experiências que reproduzem o que você viveria em um curso presencial. Por exemplo, há fóruns onde os alunos podem interagir entre si, criar tópicos, conversar com os professores e ter acesso a informações que ajudem em seu processo educacional. Ainda há instituições que trabalham com tecnologias, como a realidade aumentada. Nesta, por meio do uso de um dispositivo visual como óculos, o aluno se vê imerso em um espaço virtual que simula qualquer ambiente que se deseje, seja um laboratório, um espaço urbano ou uma sala de aula. Um dado importante sobre o ensino EaD é a densidade de conteúdos. O formato permite que mais informações sejam dispostas ao aluno e a teoria é sempre disponibilizada para os estudantes antes mesmo das aulas, para que já possam participar com uma base sólida sobre o assunto que será abordado. Fonte: Revista Gestão Universitária.

15-01-2020 - Olá pretendente ao ensino superior na modalidade EaD

Eis algumas informações importantes: Como funcionam aulas EaD? Quando a gente fala de faculdade e ensino superior, as primeiras coisas que vêm à cabeça são o campus, a sala de aula, as experiências no laboratório, os trabalhos em grupo… certo? Bem, tudo isso é importante para o processo de aprendizagem, mas se você está apostando em outras modalidades de ensino, pode estar se perguntando como funcionam as aulas EaD. Imagine que existe uma possibilidade onde as mesmas coisas acontecem, só de que uma forma mais prática, com liberdade de horário e sem precisar se deslocar até a instituição de ensino superior. As aulas em EaD são assim, incluem todo o necessário para seu aprendizado, só que aproveitando a tecnologia da atualidade. Como funciona o EaD? O ensino a distância está pensado para proporcionar toda a carga de conhecimentos necessária para a formação de um profissional apto a desenvolver seu trabalho, mas otimizando o aprendizado por meio de ferramentas e soluções que deixam o processo mais dinâmico. Confira quais são: AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) O AVA dá praticamente todo o suporte necessário para que as atividades acadêmicas se desenvolvam. Quando alguém se pergunta como funcionam as aulas EaD, pode estabelecer um paralelo sobre quando precisa de alguma informação e vai procurar na internet. Vídeos, textos, infográficos, tudo isso ajuda a responder perguntas, certo? Isso acontece porque já aprendemos a estudar virtualmente. Já não dissociamos tanto o que se aprende em suportes físicos do que somos capazes de encontrar na internet. O AVA organiza as informações da graduação a distância (https://ead.ucs.br/) e é onde boa parte das atividades se desenvolve. Seja em relação aos conteúdos, avaliações, módulos ou mesmo debates, há espaços virtuais organizados especificamente para este fim. Sobre as avaliações e outros recursos Sobre as avaliações em si, algumas podem ser feitas de forma virtual, também no Ambiente Virtual de Aprendizagem. Mesmo assim, o Ministério da Educação (MEC) orienta que um mínimo de 20% de toda a carga horária de um curso seja desenvolvida de forma presencial. Por isso, algumas atividades, inclusive provas, são feitas localmente. Mas como nem tudo é aula ou exame, também o AVA proporciona experiências que reproduzem o que você viveria em um curso presencial. Por exemplo, há fóruns onde os alunos podem interagir entre si, criar tópicos, conversar com os professores e ter acesso a informações que ajudem em seu processo educacional. Ainda há instituições que trabalham com tecnologias, como a realidade aumentada. Nesta, por meio do uso de um dispositivo visual como óculos, o aluno se vê imerso em um espaço virtual que simula qualquer ambiente que se deseje, seja um laboratório, um espaço urbano ou uma sala de aula. Um dado importante sobre o ensino EaD é a densidade de conteúdos. O formato permite que mais informações sejam dispostas ao aluno e a teoria é sempre disponibilizada para os estudantes antes mesmo das aulas, para que já possam participar com uma base sólida sobre o assunto que será abordado. Fonte: Revista Gestão Universitária.

15-01-2020 - Olá pretendente ao ensino superior na modalidade EaD

Eis algumas informações importantes: Como funcionam aulas EaD? Quando a gente fala de faculdade e ensino superior, as primeiras coisas que vêm à cabeça são o campus, a sala de aula, as experiências no laboratório, os trabalhos em grupo… certo? Bem, tudo isso é importante para o processo de aprendizagem, mas se você está apostando em outras modalidades de ensino, pode estar se perguntando como funcionam as aulas EaD. Imagine que existe uma possibilidade onde as mesmas coisas acontecem, só de que uma forma mais prática, com liberdade de horário e sem precisar se deslocar até a instituição de ensino superior. As aulas em EaD são assim, incluem todo o necessário para seu aprendizado, só que aproveitando a tecnologia da atualidade. Como funciona o EaD? O ensino a distância está pensado para proporcionar toda a carga de conhecimentos necessária para a formação de um profissional apto a desenvolver seu trabalho, mas otimizando o aprendizado por meio de ferramentas e soluções que deixam o processo mais dinâmico. Confira quais são: AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) O AVA dá praticamente todo o suporte necessário para que as atividades acadêmicas se desenvolvam. Quando alguém se pergunta como funcionam as aulas EaD, pode estabelecer um paralelo sobre quando precisa de alguma informação e vai procurar na internet. Vídeos, textos, infográficos, tudo isso ajuda a responder perguntas, certo? Isso acontece porque já aprendemos a estudar virtualmente. Já não dissociamos tanto o que se aprende em suportes físicos do que somos capazes de encontrar na internet. O AVA organiza as informações da graduação a distância (https://ead.ucs.br/) e é onde boa parte das atividades se desenvolve. Seja em relação aos conteúdos, avaliações, módulos ou mesmo debates, há espaços virtuais organizados especificamente para este fim. Sobre as avaliações e outros recursos Sobre as avaliações em si, algumas podem ser feitas de forma virtual, também no Ambiente Virtual de Aprendizagem. Mesmo assim, o Ministério da Educação (MEC) orienta que um mínimo de 20% de toda a carga horária de um curso seja desenvolvida de forma presencial. Por isso, algumas atividades, inclusive provas, são feitas localmente. Mas como nem tudo é aula ou exame, também o AVA proporciona experiências que reproduzem o que você viveria em um curso presencial. Por exemplo, há fóruns onde os alunos podem interagir entre si, criar tópicos, conversar com os professores e ter acesso a informações que ajudem em seu processo educacional. Ainda há instituições que trabalham com tecnologias, como a realidade aumentada. Nesta, por meio do uso de um dispositivo visual como óculos, o aluno se vê imerso em um espaço virtual que simula qualquer ambiente que se deseje, seja um laboratório, um espaço urbano ou uma sala de aula. Um dado importante sobre o ensino EaD é a densidade de conteúdos. O formato permite que mais informações sejam dispostas ao aluno e a teoria é sempre disponibilizada para os estudantes antes mesmo das aulas, para que já possam participar com uma base sólida sobre o assunto que será abordado. Fonte: Revista Gestão Universitária.

15-01-2020 - Olá pretendente ao ensino superior na modalidade EaD

Eis algumas informações importantes: Como funcionam aulas EaD? Quando a gente fala de faculdade e ensino superior, as primeiras coisas que vêm à cabeça são o campus, a sala de aula, as experiências no laboratório, os trabalhos em grupo… certo? Bem, tudo isso é importante para o processo de aprendizagem, mas se você está apostando em outras modalidades de ensino, pode estar se perguntando como funcionam as aulas EaD. Imagine que existe uma possibilidade onde as mesmas coisas acontecem, só de que uma forma mais prática, com liberdade de horário e sem precisar se deslocar até a instituição de ensino superior. As aulas em EaD são assim, incluem todo o necessário para seu aprendizado, só que aproveitando a tecnologia da atualidade. Como funciona o EaD? O ensino a distância está pensado para proporcionar toda a carga de conhecimentos necessária para a formação de um profissional apto a desenvolver seu trabalho, mas otimizando o aprendizado por meio de ferramentas e soluções que deixam o processo mais dinâmico. Confira quais são: AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) O AVA dá praticamente todo o suporte necessário para que as atividades acadêmicas se desenvolvam. Quando alguém se pergunta como funcionam as aulas EaD, pode estabelecer um paralelo sobre quando precisa de alguma informação e vai procurar na internet. Vídeos, textos, infográficos, tudo isso ajuda a responder perguntas, certo? Isso acontece porque já aprendemos a estudar virtualmente. Já não dissociamos tanto o que se aprende em suportes físicos do que somos capazes de encontrar na internet. O AVA organiza as informações da graduação a distância (https://ead.ucs.br/) e é onde boa parte das atividades se desenvolve. Seja em relação aos conteúdos, avaliações, módulos ou mesmo debates, há espaços virtuais organizados especificamente para este fim. Sobre as avaliações e outros recursos Sobre as avaliações em si, algumas podem ser feitas de forma virtual, também no Ambiente Virtual de Aprendizagem. Mesmo assim, o Ministério da Educação (MEC) orienta que um mínimo de 20% de toda a carga horária de um curso seja desenvolvida de forma presencial. Por isso, algumas atividades, inclusive provas, são feitas localmente. Mas como nem tudo é aula ou exame, também o AVA proporciona experiências que reproduzem o que você viveria em um curso presencial. Por exemplo, há fóruns onde os alunos podem interagir entre si, criar tópicos, conversar com os professores e ter acesso a informações que ajudem em seu processo educacional. Ainda há instituições que trabalham com tecnologias, como a realidade aumentada. Nesta, por meio do uso de um dispositivo visual como óculos, o aluno se vê imerso em um espaço virtual que simula qualquer ambiente que se deseje, seja um laboratório, um espaço urbano ou uma sala de aula. Um dado importante sobre o ensino EaD é a densidade de conteúdos. O formato permite que mais informações sejam dispostas ao aluno e a teoria é sempre disponibilizada para os estudantes antes mesmo das aulas, para que já possam participar com uma base sólida sobre o assunto que será abordado. Fonte: Revista Gestão Universitária.

24-12-2019 - BOAS FESTAS!

Prezados (as) internautas, no ano de 2019 tivemos mais de 200 mil acessos em um site eminentemente educativo, sem propagandas, inteiramente grátis. Os assuntos versando sobre educação superior nas áreas de metodologia da pesquisa, ciências contábeis, administração, direito estão disponíveis, bastando somente acessar www.lcsantos.pro.br. São informações de eventos nas referidas áreas; slides de aulas; checklist para projeto de pesquisa, artigo técnico-científico e monografia; textos de opinião; material didático de uma forma geral, além informações referentes ao meu perfil profissiográfico. Desejo-lhes um Feliz Natal e Próspero Ano Novo, cheio de saúde, paz e prosperidade para todos (as), extensivos aos seus familiares. Em 2020 estaremos juntos neste sítio. Prof. Dr. Luiz Carlos dos Santos

11-12-2019 - Melhores cursos para começar uma carreira profissional - www.revistagestaouniversitaria.com.br

Para começar a investir em sua carreira, o profissional deve primeiro ter em mente que quanto mais rápido ele decidir a área na qual deseja atuar, se baseando é claro no seu objetivo de vida e mercado de trabalho, mais fácil será para começar a trilhar o caminho de uma carreira de sucesso. Deste modo, o ideal é saber exatamente qual carreira deseja seguir, aonde deseja chegar, determinando inclusive o nível hierárquico que deseja alcançar, pois sem essa base é improvável conseguir ter uma carreira de sucesso, afinal de contas ter uma carreira é diferente de ter uma profissão, já que as pessoas podem ter a mesma profissão, mas não a mesma carreira. A escolha de um curso complementar, deve ser pautada por essa importante decisão, pois todas as suas ações para conquistar o seu objetivo de carreira depende dela, isso porque só se pode ir para algum lugar se você souber aonde deseja ir. Mas, como essa é uma decisão um tanto quanto complicada, neste texto você vai encontrar algumas soluções para ajudá-lo. Como escolher um curso complementar que agregue valor a sua carreira, Traçar a sua jornada profissional parece um pouco assustador, entretanto, pode ser vital para que não se torne apenas um profissional que segue as profissões que aparecem e acabam não construído uma carreira pautada por seus desejos e anseios profissionais e pessoais. Ou seja, ao determinar o profissional que deseja se tornar, você também organiza uma estrutura estratégica dos cursos complementares, profissionalizantes ou livres, como também são chamados, indispensáveis para exercer e ser um verdadeiro especialista na sua área para ter uma carreira de sucesso. Saber os cursos complementares ideais para evoluir na carreira é tão importante quanto saber a área com qual você mais se identifica, pois ambas informações auxiliam seu crescimento profissional. Então, o mais recomendado pela maioria dos especialistas do mercado, para alcançar o sucesso, é investir primeiro em treinamentos rápidos e abrangentes, utilizando até mesmo cursos gratuitos no início. Pois tais cursos podem ser capazes de ajudá-lo a progredir na carreira para alcançar melhores posições na empresa que trabalha ou deseja trabalhar. Além disso, hoje existem muitas opções de cursos, em modalidade presencial ou a distância, que vão agregar valor tanto ao seu currículo quanto a sua ambição de carreira. 5 cursos para alavancar sua carreira; Segue uma lista com alguns cursos abrangentes para profissionais que desejam conquistar carreiras diferentes, independente da área de interesse, por meio de conhecimentos específicos que visam auxiliá-lo ou até mesmo atualizá-lo para atuar como um verdadeiro especialista: 1 - Marketing Pessoal; Um curso de Marketing Pessoal é indispensável para qualquer profissional que busca uma carreira de sucesso, pois o mesmo visa aperfeiçoar conhecimentos existentes e auxilia no desenvolvimento de habilidades diversas que prezam pelo aprimoramento da sua imagem para que o profissional saiba se apresentar de maneira adequada e para que gere interesse. Ou seja, o curso de Marketing Pessoal tem o objetivo de ensinar aos alunos a aprenderem a arte da autopromoção, para conseguirem se valorizar ao apresentarem suas qualidades, habilidades e competências através de técnicas para melhorar a imagem. Saiba mais sobre marketing pessoal; 2 – Idiomas, um curso de Idiomas tem o objetivo de ensinar aos alunos a terem o domínio de uma outra língua, independentemente do idioma escolhido, para que os mesmos possam desenvolver a linguagem, a argumentação e as técnicas para exposição de ideias. Além é claro de adquirir as habilidades de conversação e de vocabulário. Este tipo de curso aumenta as chances de os profissionais expandirem os seus conhecimentos acadêmicos e ainda é muito válido para a vida de maneira geral, afinal de contas não é apenas o seu currículo que ganha com esse aprendizado. Se você tem um perfil mais tecnológico existe no mercado alguns bons aplicativos de aprendizado do inglês que pode te ajudar no processo; 3 – Informática, Um curso de Informática é indispensável no mercado atual, uma vez o conhecimentos aprendidos neste curso possibilita a exploração máxima de ferramentas e recursos tecnológicos que auxiliam trabalhos administrativos. Ou seja, esse curso permite que existam profissionais capacitados para trabalharem em várias áreas. O objetivo do curso de Informática é exatamente desenvolver profissionais capacitados tecnologicamente nos principais sistemas operacionais utilizados no mercado de trabalho para que possam atuar em diferentes áreas;

09-12-2019 - Elevação em 300% da capacidade de investimento de universidades

R$ 125 milhões foram liberados pelo ministério para energia limpa e conclusão de obras. A boa gestão do governo federal permitiu que o Ministério da Educação (MEC) liberasse R$ 125 milhões em recursos extras para as universidades federais. Para serem aplicadas em energia renovável e na conclusão de obras que melhorem o gasto público, as verbas ampliaram em até 300% a capacidade de investimento das instituições de ensino superior. É o caso, por exemplo, da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). A instituição recebeu R$ 2,4 milhões adicionais para os investimentos. O montante representa aumento de 292% em relação aos R$ 828,8 mil que foram autorizados no orçamento da universidade para aplicação na compra de equipamentos e realização de obras neste ano. Segundo o reitor da universidade, Marcel Botelho, todo o dinheiro recebido vai para energia fotovoltaica, que vai liberar o orçamento da universidade para investimentos em atividades finalísticas. “A busca por eficiência e qualidade [no gasto] é fundamental porque traz as universidades para o seu bem maior: a produção de conhecimento, de tecnologia e de desenvolvimento das regiões”, disse. A reitora da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), Wanda Hoffmann, também destacou que a liberação dos recursos Extra orçamentários permite que a universidade foque nas atividades finalísticas de ensino. “Vamos reduzir permanentemente os gastos com energia. É um complemento importante do orçamento e, com isso, podemos avançar na melhoria da infraestrutura da Ufscar para continuar sua missão de ensino, pesquisa e extensão”, disse. A Ufscar teve os investimentos de 2019 ampliados em 159%. Agora, a instituição tem R$ 3,3 milhões para aplicar na melhoria da infraestrutura, contra R$ 1,3 milhão previstos originalmente no orçamento do ano. A explicação para aumentos tão significativos foram os critérios adotados pela Secretaria de Educação Superior (Sesu) do MEC para transferir o dinheiro. Tiveram acesso a mais recursos instituições federais com melhor classificação em qualidade e desempenho e mais eficientes, ou seja, com um menor custo por aluno. Ao definir a forma de repasse, o objetivo do MEC foi beneficiar universidades que possuam menores condições orçamentárias de realizar esse tipo de investimento e privilegiar o bom trabalho de gestão. “Rejeitamos o assistencialismo sem restrição fiscal e a meritocracia só dos mais ricos. A ideia é premiar o esforço”, explicou Arnaldo Lima, secretário da Sesu. A implementação de painéis solares deve gerar uma economia nas contas de energia elétrica de até R$ 25,5 milhões ao ano para as universidades. Isso beneficiará mais de 2 milhões de estudantes do ensino superior público no Brasil, já que são mais incentivos aos estudos dos acadêmicos. Confira o aumento nos investimentos de cada universidade (htpp://portal.mec.gov.br/imagens/06.12.2019tab.pdf Fontes: MEC (06.12.20219) e Revista Gestão Universitária.

25-11-2019 - RBEP e mais três periódicos do Inep estão disponíveis em plataforma de revistas eletrônicas

Quatro publicações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) estão disponíveis no Open Journal Systems (OJS), software de gerenciamento e publicação de revistas eletrônicas. A ferramenta foi traduzida e disseminada no Brasil pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. A coordenadora de Editoração e Publicações do Inep, Carla Nascimento, comentou a relevância do novo canal de acesso às publicações. “Essa nova plataforma aprimora o processo editorial, desde a submissão dos artigos e manuscritos até a disseminação das publicações de forma mais organizada, com ambiente personalizado para cada periódico e série, além de ser um canal que proporciona o registro dos pareceres dos artigos submetidos para os cadernos e séries”, destacou Carla. Para 2020, a ideia é estender a iniciativa para as publicações institucionais do Inep, oferecendo mais transparência ao trabalho realizado no processo editorial. “Nada seria alcançado sem o suporte da equipe de TI [Tecnologia da Informação] do órgão e dos servidores da editoração que se debruçaram nessa empreitada”, concluiu a coordenadora. Recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e aceito pela comunidade brasileira de editores científicos, o OJS é gratuito e pode ser instalado em qualquer servidor local, tornando a ferramenta flexível e acessível. As publicações disponíveis na plataforma são: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP), Cadernos de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais, Textos para Discussão e a série PNE em Movimento, sobre o Plano Nacional de Educação. Em janeiro, a nova versão da revista Em Aberto e a série Relatos de Pesquisa também estarão disponíveis na plataforma. OJS – As principais vantagens da plataforma OJS são a possibilidade de instalação e gerenciamento personalizados, permitindo que o editor faça alterações a qualquer momento. Além disso, a plataforma proporciona a inserção de artigos on-line, feita pelos próprios autores, e conta com mecanismos de busca dentro de cada conteúdo publicado. O software busca otimizar o sistema de publicação científica e viabiliza o corte de despesas com impressão, oferecendo acesso on-line e gratuito aos leitores. O OJS ainda diminui o tempo gasto pelos editores com o recebimento de conteúdo, realizado em uma barra de ferramentas própria para submissão de artigos. Confira os periódicos: Acompanhe as edições da RBEP (http://rbep.inep.gov.br/ojs/index.php/rbep. Veja os Cadernos de Estudos do Inep (http://cadernosdeestudos.inep.gov.br/ Leia os Textos para Discussão (http://td.inep.gov.br/obs3/ Consulte as publicações do PNE em Movimento (http://seriepne.inep.gov.br/ojs3 Fontes: Assessoria de Comunicação Social - INEP e Revista Gestão Universitária.

18-11-2019 - COMO ELABORAR O CAPÍTULO DA “METODOLOGIA” DE UM ARTIGO, MONOGRAFIA, DISSERTAÇÃO OU TESE

Prezados graduandos ou pós-graduandos, o capítulo da metodologia ou procedimentos metodológicos não pode ser circunscrito à tipologia quanto aos objetivos e à natureza de abordagem. O percurso metodológico inicia-se com o tipo de “método adotado” e encerra-se com a “tabulação e tratamento dos dados”, uma vez que o conceito de metodologia é amplo, se trata de um conjunto de métodos, técnicas e procedimentos utilizados em uma produção científica para elucidar um problema, comprovar ou refutar as hipóteses de pesquisa, ou responder as questões norteadoras, derivativas do enunciado do problema e, também, alcançar os objetivos (geral e específicos) fixados para o estudo. Em artigo técnico-científico, o traçado metodológico pode ser descrito na própria introdução, logo depois da justificativa do trabalho, desde que a natureza do objeto investigativo seja de ordem teórica ou teórico-documental. Mas, caso o trabalho seja uma produção de natureza teórico-empírica (com trabalho de campo), necessariamente deve ser um capítulo à parte, ou seja, logo depois da seção “Revisão de Literatura” ou “Referencial Teórico”. Um capítulo de “Metodologia” bem descrito deve ter: a indicação do método utilizado (dedutivo, indutivo, hipotético-dedutivo, dialético, estudo de caso, histórico, entre outros) em que conste uma citação (direta, indireta ou citação de citação) de autor, em relação ao método escolhido e o link com o caso concreto (na perspectiva da elucidação do problema da pesquisa estabelecido); procede-se, de igual modo, quanto aos objetivos do estudo (pesquisa exploratória, descritiva, exploratória com contornos descritivo ou explicativa); logo depois, entra-se com a natureza da abordagem (quantitativa, qualitativa ou quantitativa e qualitativa); continuando a descrição da metodologia utilizada, insere-se a natureza da exposição do objeto investigativo (teórica, teórico-documental ou teórico-empírica); prossegue-se com a descrição das fontes (bibliográficas, documentais e/ou eletrônicas); até aqui está detalhado o caminho crítico do capítulo da metodologia para os estudos de natureza teórico ou teórico-documental, entretanto, de o trabalho for de cunho teórico-empírico o (a) graduando (a) ou pós-graduando (a) deve incluir – o universo da pesquisa; a amostra; o critério amostral; as técnicas de coleta de dados (formulário, questionário, entrevista ou observação); e, a tabulação e tratamento dos dados coletados, tanto na vertente quantitativa, se for o caso (média, moda, mediana, índice de correlação, entre outras), quanto na ótica qualitativa (análise de conteúdo, análise de discurso, análise de narrativa, análise de conversa). Lembre-se: para cada item da metodologia, há, necessariamente, que se coloque uma citação de autor relacionado a suas escolhas e o link para o caso concreto, ou seja, em sintonia com o objeto investigativo.

06-11-2019 - Revista Diamantina Presença - educação e pesquisa

Leiam o artigo intitulado Como elaborar um artigo técnico-científico ... -, publicado na Revista Diamantina Presença - educação e pesquisa, v. 2, n. 2, novembro de 2019, site https://www.revistas.uneb.br/index.php/diamantina

|<  <<  1 2 3 4 5 6 7 8 9   >>  >|