|
|
|
|

27-06-2020 - Gestão Tributária: saiba alguns pontos importantes sobre a carreira. Fonte: Revista Gestão Universit

Você tem facilidade com números, tem interesse em entender o funcionamento da tributação de uma empresa? Se sua resposta for sim, já pensou no curso de Gestão Tributária? Atualmente, com a crise econômica brasileira, é essencial que as empresas se atentem cada vez mais na redução de custos desnecessários, a fim de manter a saúde financeira da empresa, bem como garantir o cumprimentos das obrigações fiscais e tributárias da organização. Quer saber mais como funciona a carreira deste profissional, possibilidades de formação e muito mais? Então continue a leitura! O que é Gestão Tributária? A Gestão Tributária - também conhecida como gestão fiscal e financeira, pode ser definida como o processo de coordenação de noções tributárias de uma determinada empresa — tem como objetivo garantir o planejamento das mesmas e o controle das operações financeiras diante do sistema tributário. Além disso, a Gestão Tributária visa reparar possíveis erros no cumprimento das obrigações fiscais e assegurar o pagamentos de tributos. Importância da Gestão Tributária O sistema tributário brasileiro possui uma enorme complexidade. Existem diversos tipos de tributos, impostos e taxas que as empresas devem pagar ao governo. Como as empresas prezam pelo compliance, é fundamental que tenham os tributos pagos corretamente, para que os riscos com órgãos fiscais sejam reduzidos. Além disso, devido ao grande número de obrigações e informações, é essencial que haja pessoas direcionadas a estas atividades para que o planejamento financeiro da empresa não seja afetado. Curso de Gestão Tributária Em relação ao curso de Gestão Tributária, existem duas modalidades; o tecnólogo e a pós graduação. O tecnólogo é considerado uma graduação, entretanto, com duração média de dois anos. O profissional, assim que formado, poderá exercer atividades como gerenciamento de aspectos tributários e controle e planejamento de operações financeiras relacionadas aos tributos. Dentre as principais disciplinas da grade curricular, têm-se: • Controladoria e Gestão Tributária • Legislação em Tributos Federais • Legislação em Tributos Estaduais e Municipais • Auditoria Fiscal e Tributária • Planejamento Tributário • Gestão de Capital • Contabilidade Empresarial • Rotina de Tributação Já a pós graduação em Gestão Tributária destina-se a profissionais graduados em Ciências Contábeis, Administração, Economia e área correlatas. O curso pode ser encontrado em diversas faculdades no Brasil, tais como: • Fundação Getulio Vargas (FGV) • Faculdade Brasileira de Tributação (FBT) • Faculdade Estácio de Sá • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUCMinas) • Universidade Paulista (UNIP) • Universidade Nove de Julho A grade curricular depende da diretriz curricular de cada instituição de ensino. Entre as principais disciplinas estão: • Introdução ao Direito Tributário • Direito Empresarial • Contabilidade Tributária • Auditoria Fiscal e Tributária • Matemática Financeira Carreira em Gestão Tributária A carreira em Gestão Tributária possui diversas possibilidade de atuação, tanto no setor público como privado. O profissional pode trabalhar no comércio, indústrias e companhias. Os cargos que têm ganhado maior destaque no mercado são: • Analista Fiscal: o papel deste profissional é se certificar de que a empresa paga corretamente os tributos e impostos. A posição é bastante atrelada ao compliance, com isso, deve-se saber interpretar a legislação tributária. • Gestor Tributário: o cargo tem maior ênfase em auditoria e consultoria, desta forma, é importante o domínio em Direito Tributário e Governança Tributária. • Consultor Tributário: o profissional que atua nesta posição tem como papel orientar e conceder informações sobre os processos tributários e as formas de interpretação do Direito Constitucional e Tributário. O profissional de Gestão Tributária Como mencionado anteriormente, a Gestão Tributária é fundamental para sustentar o cumprimento das obrigações tributárias e garantir a saúde financeira das empresas. Desta forma, o gestor tributário é substancial para a economia brasileira e funcionamento das empresas. Existem habilidades e capacidades muito importantes a serem desempenhadas pelo profissional de Gestão Tributária. Dentre as mais consideráveis, estão; capacidade analítica, organização, planejamento, habilidade com cálculos, foco, capacidade de gerenciar conflitos, liderança, atenção aos detalhes, entendimento sobre a legislação brasileira, sistema tributário, contabilidade e economia. Muitos destes aspectos podem ser adquiridos e praticados ao longo de sua jornada profissional. Então não tenha pressa, você pode desenvolvê-los através de experiências como estágio, atividades extracurriculares, cursos online, entre outros. O importante é ter foco e se dedicar! Mercado de trabalho No que se refere ao mercado de trabalho para Gestão Tributária no Brasil, percebe-se um grande potencial de crescimento, principalmente por ser considerada uma carreira recente, com poucos profissionais, junto a uma grande demanda das empresas. Regiões como Sul e Sudeste, onde encontram-se grandes empresas e indústrias, são as mais requisitadas e com maior número de oportunidades de emprego. No entanto, o mercado é bastante amplo, pois uma vez que a empresa esteja legalizada e regulamentada já torna-se necessária a atuação do gerenciamento tributário. Gestão Tributária: salário Um aspecto bastante considerado em uma carreira é sua remuneração e perspectiva de crescimento no mercado de trabalho. No cargo de gestor tributário, por exemplo, o salário é visto como satisfatório, alcançando inicialmente cerca R$ 10.362,00 até R$ 17.959,00. Já a média salarial para o cargo de gerente tributário é de R$ 14.277,00. Entretanto, o salário de cada profissional atuante na área de gestão tributária pode variar de acordo com o grau de experiência, segmento de atuação e se a esfera é pública ou privada. Com este post, vimos que a carreira de gestão tributária é abrangente e extremamente fundamental para a continuidade dos negócios empresariais e acatamento das legislações tributárias. Importante lembrar que o Direito(https://orientu.com.br/cursos/direito) e a Contabilidade são disciplinas base para a área! Que tal conhecer também mais sobre elas? Fonte: Revista Gestão Universitária.

25-06-2020 - Inscrições em cursos a distância encerram nesta quinta (25). Cursos Gratuitos!

Institutos federais de vários estados, como Minas Gerais, Pernambuco, Amapá e Paraíba oferecem cursos de qualificação profissional a distância com inscrições abertas até esta quinta-feira (25). Pessoas de qualquer unidade da federação podem se inscrever, já que a modalidade é a distância. Todos eles são gratuitos, sem taxa de inscrição. A oferta desses cursos faz parte do Programa Novos Caminhos, criado em 2019 pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do MEC. OPORTUNIDADE Confira alguns cursos oferecidos pelos institutos federais: • Assistente Financeiro (Instituto Federal de Minas Gerais) • Agente de Informações Turísticas em Recife (Instituto Federal de Pernambuco) • Operador de Computador (Instituto Federal do Amapá) • Agricultor Orgânico (Instituto Federal da Paraíba Fonte: MEC - 24.06.2020

23-06-2020 - Prazo do Programa da Amazônia Legal termina dia 30 - Mestrado, doutorado e pós-doutorado

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) recebe, até o dia 30 de junho, as propostas para o Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) na Amazônia Legal. As instituições de ensino superior (IES) interessadas em participar devem enviar seus projetos com os Planos de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PPGs) pelo Sistema de Inscrições da Capes (Sicapes). Lançado no dia 19 de maio, o edital (https://www.capes.gov.br/images/novo_portal/editais/editais/19052020_edital_13_2020.pdf) prevê o investimento até R$ 56,4 milhões em até 90 projetos de consolidação da pós-graduação na Amazônia Legal que oferecerão 720 bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado. A região da Amazônia Legal abrange oito estados — Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins —, além de parte do Maranhão. A ação incentiva propostas de PPGs em áreas estratégicas da região. Segundo Benedito Aguiar, presidente da CAPES, um aspecto importante desse PDPG é o estímulo à formação de redes de colaboração entre as instituições de ensino superior da Amazônia Legal e de outras partes do país. Implementar o Programa na região contribuirá para a redução de assimetrias no Brasil, a partir do fortalecimento da pesquisa em temas de grande relevância para o desenvolvimento científico-tecnológico brasileiro. Serão apoiados projetos para consolidar iniciativas já existentes, criar novas áreas de concentração ou programas dentro das áreas englobadas pelo edital. Cada proposta aprovada receberá financiamento de até R$ 627 mil, sendo R$ 200 mil para custeio e R$427 mil para os benefícios. As IES selecionadas terão duas bolsas de mestrado com duração de 24 meses, duas de doutorado, com 36 meses, e quatro de pós-doutorado, com 12 meses. As instituições serão responsáveis pela seleção dos próprios bolsistas. Com oito áreas temáticas, entre elas Saúde pública, doenças tropicais e tecnologias para o trabalho em saúde, combate e prevenção voltados ao enfrentamento de epidemias, Clima, energia e recursos hídricos e Diversidade sociocultural, sustentabilidade e atividades socioeconômicas, o Programa é voltado para a formação de recursos humanos qualificados na região e o equilíbrio regional da pós-graduação brasileira, por meio da fixação de pesquisadores de alto nível nas instituições participantes. Cronograma As propostas de Planos de Desenvolvimento da Pós-Graduação, deverão ser enviadas à CAPES até as 17h, do dia 30 de junho, por meio do link: http://inscricao.capes.gov.br/ A divulgação do resultado preliminar está prevista para o dia 2 de setembro e a do resultado final para 22 de setembro. A implementação dos projetos terá início a partir de outubro. Fontes: Redação CCS/CAPES e Revista Gestão Universitária

19-06-2020 - Termina hoje(19/06) prazo para manifestação a respeito da classificação de novos cursos de graduação

Novos cursos de graduação registrados no cadastro e-MEC entre junho de 2019 e 25 de fevereiro de 2020 foram classificados de forma preliminar, de acordo com a Classificação Internacional Normalizada da Educação Adaptada para Cursos de Graduação e Sequenciais de Formação Específica (Cine Brasil). Até a próxima sexta-feira, 19 de junho, as instituições de educação superior precisam verificar a situação de seus cursos e se manifestar, caso discordem da classificação apresentada. As consultas à classificação prévia devem ser feitas no sistema Enade. A plataforma virtual traz todas as informações do curso e oferece as opções “favorável” ou “contrário” à classificação preliminar. O ambiente on-line é acessível para os procuradores institucionais e os coordenadores de curso cadastrados. As classificações que não tiverem o registro dos representantes institucionais até 19 de junho serão consideradas válidas. O prazo foi ampliado para permitir os ajustes das instituições durante as restrições impostas pela pandemia de COVID-19. Apoio – A equipe da Diretoria de Estatísticas Educacionais (Deed) do Inep elaborou um manual para navegação na plataforma. A “Manifestação sobre a Classificação de Cursos – Passo a Passo” foi enviada para os procuradores educacionais institucionais e os coordenadores de cursos já cadastrados no sistema, e está disponível no link ao final deste texto. Para assegurar o esclarecimento de dúvidas específicas, foi disponibilizado o endereço eletrônico classifica.curso@inep.gov.br. Cine Brasil – A classificação de acordo com a Cine Brasil é um pré-requisito fundamental para a disseminação de pesquisas estatísticas da educação superior do país. Ela será utilizada como referência para enquadramento de cursos a serem avaliados no Enade, para designação das comissões de avaliação in loco dos cursos de graduação e como referência de classificação de cursos no cadastro e-MEC. Veja o passo a passo para manifestação sobre a classificação de novos cursos Consulte o Manual para Classificação dos Cursos de Graduação e Sequenciais Cine Brasil Envie dúvidas para classifica.curso@inep.gov.br Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Inep - 18.06.2020

17-06-2020 - PORTARIA Nº 544, DE 16 DE JUNHO DE 2020 - Substituição das aulas presenciais por aulas em meios digi

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos I e II, da Constituição, e considerando o art. 9º, incisos II e VII, da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e o art. 2º do Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017, resolve: Art. 1º Autorizar, em caráter excepcional, a substituição das disciplinas presenciais, em cursos regularmente autorizados, por atividades letivas que utilizem recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação ou outros meios convencionais, por instituição de educação superior integrante do sistema federal de ensino, de que trata o art. 2º do Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017. § 1º O período de autorização de que trata o caput se estende até 31 de dezembro de 2020. § 2º Será de responsabilidade das instituições a definição dos componentes curriculares que serão substituídos, a disponibilização de recursos aos alunos que permitam o acompanhamento das atividades letivas ofertadas, bem como a realização de avaliações durante o período da autorização de que trata o caput. § 3º No que se refere às práticas profissionais de estágios ou às práticas que exijam laboratórios especializados, a aplicação da substituição de que trata o caput deve obedecer às Diretrizes Nacionais Curriculares aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação - CNE, ficando vedada a substituição daqueles cursos que não estejam disciplinados pelo CNE. § 4º A aplicação da substituição de práticas profissionais ou de práticas que exijam laboratórios especializados, de que trata o § 3º, deve constar de planos de trabalhos específicos, aprovados, no âmbito institucional, pelos colegiados de cursos e apensados ao projeto pedagógico do curso. § 5º Especificamente para o curso de Medicina, fica autorizada a substituição de que trata o caput apenas às disciplinas teórico-cognitivas do primeiro ao quarto ano do curso e ao internato, conforme disciplinado pelo CNE. § 6º As instituições deverão comunicar ao Ministério da Educação - MEC a opção pela substituição de atividades letivas, mediante ofício, em até quinze dias após o início destas. Art. 2º Alternativamente à autorização de que trata o art. 1º, as instituições de educação superior poderão suspender as atividades acadêmicas presenciais pelo mesmo prazo. § 1º As atividades acadêmicas suspensas deverão ser integralmente repostas, para fins de cumprimento da carga horária dos cursos, conforme estabelecido na legislação em vigor. § 2º As instituições poderão, ainda, alterar o calendário de férias, desde que cumpram a carga horária dos cursos, consoante estabelecido na legislação em vigor. Art. 3º Ficam revogadas: I - a Portaria MEC nº 343, de 17 de março de 2020; II - a Portaria MEC nº 345, de 19 de março de 2020; e III - a Portaria MEC nº 473, de 12 de maio de 2020. Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

16-06-2020 - Mantenedoras de instituições de ensino superior têm até 23 de junho para aderir ao Fies

Prazo está em Portaria do Ministério da Educação com regras para o processo seletivo deste segundo semestre As mantenedoras de instituições de ensino superior interessadas em ofertar vagas pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para o segundo semestre de 2020 já podem se preparar. O sistema do Fies ficará aberto até o dia 23 de junho para a manifestação de interesse das mantenedoras que desejam participar do Programa do Ministério da Educação (MEC) que concede financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos. Todos os procedimentos necessários à emissão e à assinatura do Termo de Participação por parte das mantenedoras deverão ser realizados exclusivamente por meio do sistema informatizado do Fies (SisFies), disponível no endereço eletrônico http://fiesoferta.mec.gov.br/. Esse é o primeiro passo do processo seletivo do Fies, que inicia com a oferta de vagas por parte das mantenedoras de instituições de ensino superior. Depois que o MEC seleciona as vagas a serem ofertadas, ocorre o período de inscrição dos candidatos e a classificação e pré-seleção dos candidatos. As regras para que as instituições possam ofertar vagas no processo seletivo do Fies no segundo semestre deste ano constam em Portaria publicada na sexta, 12 de junho, no Diário Oficial da União (DOU). O texto dispõe sobre as regras e os procedimentos desta edição do Programa. As mantenedoras deverão disponibilizar meio digital e sistema eletrônico apropriado para o envio de documentação e interação com os estudantes. Além disso, com a anuência das instituições de ensino e bancárias, o estudante também poderá ser dispensado de comparecer presencialmente para a assinatura de documentos referentes ao contrato de financiamento do Fies. “Essas medidas possibilitarão, inclusive, o cumprimento das regras de isolamento social estabelecidas em diferentes localidades do país”, afirma o diretor de Políticas e Programas da Educação Superior, Edimilson Costa Silva. O Fies é um Programa do Ministério da Educação destinado a financiar prioritariamente estudantes de cursos de graduação. Para concorrer às vagas do Programa, é utilizada a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de edições a partir de 2010. P-Fies - A partir desta edição, os processos seletivos do Fies passam a ser independentes dos processos seletivos do P-Fies, que passa a ser regido por instrumento normativo próprio, conforme Portaria também publicada na sexta, 12. Fontes: Assessoria de Comunicação Social, com informações da Secretaria de Ensino Superior - MEC (15.06.2020) e Revista Gestão Universitária

12-06-2020 - Capes estabelece critérios para abertura de polos de educação a distância - Mestrado a Distância

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) publicou normas para o funcionamento dos polos que irão oferecer cursos de pós-graduação stricto sensu no modelo de educação a distância. A portaria (http://cad.capes.gov.brato-administrativo-detalharidatoadmelastic=4056#anchor) orienta as instituições de ensino superior sobre a estrutura necessária e formas de avaliação dos espaços. Com base nas regras, a Capes vai vistoriar presencialmente os polos indicados pelas instituições de ensino nos pedidos de Avaliação de Propostas de Cursos Novos (APCN). As visitas servirão como subsídio para a análise de mérito feita pelas comissões de avaliação de APCN e Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES). “Mesmo já havendo uma tendência de valorização do uso de tecnologias de comunicação e informação nos processos de ensino e aprendizagem na pós-graduação, a atual situação de isolamento social, despertou ainda mais quanto à sua eficiência”, destacou Benedito Aguiar, presidente da Capes. Os polos de educação a distância devem ter sala administrativa, laboratório de informática, ambiente de estudos/biblioteca ou biblioteca virtual, salas de aula/videoconferência compatíveis com a demanda. A adoção de medidas de acessibilidade em toda a estrutura é obrigatória. Os locais também precisam oferecer acesso à internet compatível com a demanda do curso, computadores para, pelo menos, metade das vagas e equipamento para conferência online. Documentos como alvará de funcionamento ou habite-se, domínio do imóvel, aluguel ou cessão de uso e declaração dos recursos humanos do polo serão verificados pela Capes. UAB - As instituições podem usar os polos já vistoriados e considerados aptos para a Universidade Aberta do Brasil (UAB), que oferecem cursos de formação inicial e continuada de professores da Educação Básica, para ministrar seus cursos. Nestes casos, a visitação poderá ocorrer por meios tecnológicos. A possibilidade do uso das estruturas dos polos UAB por parte das universidades é considerada estratégica por Benedito Aguiar. “Em virtude da expectativa de crescimento da demanda no país por programas de pós-graduação stricto sensu o aproveitamento de polos da UAB, em situação regular, representa uma estratégia das mais significativas”, destacou o presidente da Capes. Pós-graduação - Em 2019, a Capes regulamentou a pós-graduação stricto sensu a distância. A modalidade foi instituída pelo Decreto nº 9.057 de 2017 e normatizada pela Resolução nº 7 da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CES/CNE). Para a criação de um mestrado a distância é preciso que a instituição seja credenciada no Ministério da Educação (MEC) e tenha Índice Geral de Cursos (IGC) igual ou superior a 4. As instituições que não possuem o IGC, deverão ter, no mínimo, um programa de pós-graduação stricto sensu reconhecido pelo MEC, em funcionamento, com nota 4 e na mesma área de avaliação da proposta do curso novo. A exigência da produção intelectual dos cursos a distância é a mesma dos cursos presenciais. Em 2019, 17 instituições enviaram propostas para a criação de novos cursos de mestrado a distância. Até o momento, apenas propostas para a criação de cursos de mestrado a distância foram aceitas. Fonte: Assessoria de Comunicação Social, com informações da Capes - MEC - 10.06.2020 e Revista Gestão Universitária

11-06-2020 - Instituições têm até sexta-feira (12) para se manifestarem sobre classificação preliminar dos novos

O prazo para que as instituições de educação superior se manifestem a respeito da Classificação Internacional Normalizada da Educação Adaptada para Cursos de Graduação e Sequenciais de Formação Específica (Cine Brasil) vai até sexta-feira, 12 de junho. A ação vale para instituições que inseriram novos cursos no cadastro e-MEC, no período entre junho de 2019 e 25 de fevereiro de 2020. A consulta deve ser feita on-line no sistema do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). O mesmo ambiente virtual abriga a área para a manifestação. Após o período aberto para a manifestação dos procuradores institucionais, em conjunto com os coordenadores de cursos, as classificações que não tiverem o registro dos representantes institucionais serão consideradas válidas. Para facilitar o acesso à área de manifestação das instituições no Sistema Enade, a equipe da Diretoria de Estatísticas Educacionais do Inep elaborou um manual para navegação na plataforma. A "Manifestação sobre a Classificação de Cursos – Passo a Passo" foi enviada para os procuradores educacionais institucionais e os coordenadores de cursos já cadastrados no sistema, via e-mail. Também há um endereço eletrônico para esclarecimento de dúvidas, o classifica.curso@inep.gov.br. Cine Brasil – A classificação de acordo com a Cine Brasil é um pré-requisito fundamental para a disseminação de pesquisas estatísticas da educação superior do país. Ela será utilizada como referência para enquadramento de cursos a serem avaliados no Enade, para designação das comissões de avaliação in loco dos cursos de graduação e como referência de classificação de cursos por meio do cadastro e-MEC. Consulte o Manual para Classificação dos Cursos de Graduação e Sequenciais Cine Brasil Veja o passo a passo para manifestação sobre a classificação de novos cursos (http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2020/manifestacao_passo_a_passo.pdf) Fontes: Assessoria de Comunicação Social do Inep - 09.06.2020 e Revista Gestão Uversitária

10-06-2020 - PANDEMIA COVID-19: PROLEGÔMENOS

Vive-se a mais relevante pandemia da história mundial recente causada por um novo coronavírus – COVID-19 -, com significativo impacto na economia, na saúde pública e na saúde mental de toda a sociedade. Para os defensores do retorno à normalidade, os impactos econômicos do isolamento são mais expressivos do que os seus benefícios em termos de saúde pública. Argumenta-se que a eventual restrição de contato social deveria ser direcionada aos grupos de risco desta pandemia, qual seja, pessoas com mais de 60 anos de idade ou que sejam portadoras de doenças crônicas. Por decorrência, o resto da sociedade deveria retomar a normalidade o quanto antes a fim de reduzir os impactos econômicos desta nova forma de parada súbita. Ainda argumentam os defensores, que os óbitos causados pelo COVID-19 como proporção do total da população são inferiores àquelas mortes derivadas de outras enfermidades ou processos sociais, como assassinatos e acidentes de trânsito. E, por imposição lógica, se a economia não costuma parar em função de tais problemas, não haveria de ser impedida por efeito de um vírus ainda menos letal. Tudo isso é razoável!!!!!!!! Porém, os supramencionados defensores não levam em consideração o problema da velocidade de contágio e dos custos de atenção à saúde. Fixam-se na taxa de mortalidade, que está concentrada em grupos de risco específicos. Ignoram ou possivelmente omitem o fato de que, quanto antes se volte à “normalidade”, maiores serão o contágio e a pressão sobre os sistemas de saúde. A saturação destes também afetaria pacientes com outras enfermidades não relacionadas ao COVID-19. Estes poderiam se tornar vítimas casuais de uma crise que, se não pode ser evitada, ao menos pode ser mitigada. O certo é que para além do argumento da normalidade, há o caminho da racionalidade e da atuação estatal ancorada pela busca do bem comum, a vida. Nestes marcos, e considerando a perspectiva econômica, a gestão desta crise demanda foco, serenidade, generosidade e responsabilidade. É prioritário manter a produção e o abastecimento daqueles produtos e serviços considerados essenciais para a preservação da vida humana e da estrutura social. Não se deve perder tempo com discussões secundárias, ideológicas ou políticas, sobre como a sociedade deve se organizar, sobre qual o papel do Estado e dos mercados e assim por diante. A imprensa/mídia responsável e comprometida com a verdade tem um papel basilar nesse momento, mostrando os diversos olhares/ângulos/visões da pandemia e seus efeitos, informando a população de maneira correta, sem paixões: é para isso que a imprensa/mídia existe. A retomada gradual da economia deve estar atrelada em estudos criteriosos levando-se em consideração as especificidades de cada bairro, município, estado, região, um complexo de fatores para que não ocorram novas ondas da pandemia como ocorrera com a gripe espanhola. Os critérios técnico-científicos são imperiosos nesse momento. Deve ser afastada a politização da pandemia, como vem ocorrendo. Em suma, não praticar o isolamento social temporário pode produzir uma catástrofe social que, por decorrência, também será econômica. E não preservar as rendas de trabalhadores, dos funcionários públicos (incluindo aposentados e pensionistas), principalmente do poder executivo, a exemplo de estados que a mais de 6 anos sequer repõem os efeitos da inflação e de empreendedores, em um contexto de isolamento, agravará ainda mais um quadro que já é suficientemente dramático. Serão quatro ou cinco meses, no mínimo, nos quais somente tem-se a seguinte certeza: não há espaço para se imaginar saídas meramente isoladas de grupos de gestores municipais, estaduais e federais. O COVID-19 está deixando uma mensagem dura/severa, mas clara e imperiosa: ou constrói-se alternativas seguras, em conjunto, ou a desordem pandêmica prevalecerá. Luiz Carlos dos Santos ______________ Publicado no site www.lcsantos.pro.br

07-06-2020 - Por que não um pouco de signo?

Gêmeos, signo de Ar, mutável, positivo, masculino duplo, estéril, loquaz e volátil. O signo é regido pelo planeta Mercúrio, que simboliza o intelecto e a razão. As pessoas que nascem no dia 7 de junho têm a qualidade especial de permitir que os outros projetem sobre a imagem delas uma série de fantasias que nunca se preocuparam em criar. Essa aura de glamour que está sempre com eles, pode fazer com que sejam escolhidos para papéis ou funções que não estão preparados para desempenhar o que acaba resultando numa decepção. O problema maior desses geminianos sonhadores é descobrir que têm escolha e que não são obrigados a preencher ou atender às expectativas dos outros, sejam eles a mãe, o pai, a família ou o público em geral. Para que isso aconteça, precisam de um profundo e meticuloso trabalho de autoconhecimento e um esforço sério para conseguir uma base técnica consistente que lhes dê a segurança que precisam para se tornarem donos do próprio destino. Apesar de costumarem adotar atitudes que parecem racionais e distanciadas, são extremamente emotivos e só conseguem dar continuidade a um trabalho ou a uma relação quando estão intensamente envolvidos e motivado. É por isso que, muitas vezes, acabam levando a fama de volúveis ou irresponsáveis. Fonte: Delas - iG @ https://delas.ig.com.br/comportamento/2012-06-07/aniversariantes-do-dia-7-de-junho.html

|<  <<  1 2 3 4 5 6 7 8 9   >>  >|