|
|
|
|
O que há de interessante

20-01-2020 - Neurociência: sua importância no processo ensino aprendizagem

A Neurociência é o estudo do sistema nervoso: sua estrutura, seu desenvolvimento, funcionamento, evolução, relação com o comportamento e a mente e, também, suas alterações (OLIVIER, 2013) A Neurociência é um campo relativamente novo que apresenta contribuições significativas para compreender e ampliar o entendimento sobre a complexidade da espécie humana. A partir de suas contribuições, pudemos ter uma ampliação do conhecimento de seu principal foco de estudos e pesquisas: o cérebro e sua importância no desenvolvimento de aprendizagens e comportamentos que dizem respeito ao ser humano. “A neurociência se constitui como a ciência do cérebro e a educação como ciência do ensino e da aprendizagem e ambas têm uma relação de proximidade porque o cérebro tem uma significância no processo de aprendizagem da pessoa”. (OLIVEIRA, 2014, p. 14). Um dos processos que interessa ao campo da educação é como se dá a função simbólica, sua constituição e desenvolvimento no campo da aprendizagem das linguagens. Assim, a aprendizagem da leitura e da escrita, por exemplo, apresenta relação com essa questão. Dentro desse panorama da Neurociência, o cérebro é a peça chave para entender e avançar com todos os processos de aprendizagem humana e a cultura apresenta papel fundamental nessa articulação entre o desenvolvimento humano e a aprendizagem de um modo geral. São através de redes neuronais criadas pelas sinapses entre os neurônios que possibilitam esse trabalho com o foco na aprendizagem humana. Em cada sujeito, essa rede neuronal será formatada de acordo com a história de vida de cada um. A Neurociência vem possibilitando um diálogo com vários campos de conhecimento, dentre eles, o da educação. Ambos são campos vastos e que requerem de nossa parte um profundo mergulho para então, nos debruçarmos em questões e aspectos que podem ser discutidos e analisados à luz desses conhecimentos. O cérebro se apresenta como um foco catalisador de pesquisas e estudos em busca de se perceber e analisar o potencial do seu desenvolvimento, o que contribuirá para a sustentação da espécie humana e dos seus possíveis avanços. Nesse sentido, a escola e o professor não podem se apartar dessa realidade. A Neurociência vem nos possibilitar a quebra de paradigmas, trazendo novos dilemas da atualidade. Essa atualidade vem acelerando e criando novos modelos de vida, onde a potencialidade humana pode ser inimaginável. Ao mesmo tempo, precisamos desenvolver habilidades afetivas e sociais que deem sustentação a novas aprendizagens, trabalhando com nossa memória, atenção e emoção e assim, reavaliando outras aprendizagens possíveis. Nesse contexto, a questão da diferenciação de cada ser humano, suas necessidades e características devem ser trabalhadas para que se possa garantir a sobrevivência da espécie. Portanto, a Neurociência se coloca no debate atual e central de desenvolver nossas potencialidades, buscando aprender e ensinar numa outra perspectiva. Sabendo que não existe uma única resposta mas várias perguntas a serem refletidas, a Neurociência pode ser um contributo no entendimento do ser humano e na sua relação com o conhecimento.

18-12-2019 - EaD - PORTARIA Nº 2.117, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2019

PORTARIA Nº 2.117, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2019 Dispõe sobre a oferta de carga horária na modalidade de Ensino a Distância - EaD em cursos de graduação presenciais ofertados por Instituições de Educação Superior - IES pertencentes ao Sistema Federal de Ensino. Comentário: Aplica-se apenas a cursos de graduação. Nesse ponto repete as normas anteriores e exclui a pós-graduação lato sensu sem justificativa alguma. O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, e considerando o disposto no art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, no Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017, e no Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017, resolve: Art. 1º Esta Portaria dispõe sobre a oferta de carga horária na modalidade de Ensino a Distância - EaD em cursos de graduação presenciais ofertados por Instituições de Educação Superior - IES pertencentes ao Sistema Federal de Ensino, com observância da legislação educacional em vigor. Comentário: A noção de “oferta de carga horária” é bastante ampla, inova em relação as normas anteriores que não diziam expressamente se poderiam ser introduzidas disciplinas EAD ou parte de disciplinas presenciais (carga horária) na modalidade EAD. Por outro lado, parece pertinente analisar o quanto essa norma, e as anteriores, afetam a regra contida na LDB, no sentido de que: “É obrigatória a freqüência de alunos e professores, salvo nos programas de educação a distância.” (Art. 47,§ 3º). Talvez a melhor técnica seria mudar a Lei e, não, criar uma portaria “regulando” o tema. Parágrafo único. O disposto no caput não se aplica aos cursos de Medicina. Comentário: Tratar apenas de medicina é injustificável. Deveria ser excluída a restrição ou estendida a toda área de saúde, se realmente houvesse justificativa. Art. 2º As IES poderão introduzir a oferta de carga horária na modalidade de EaD na organização pedagógica e curricular de seus cursos de graduação presenciais, até o limite de 40% da carga horária total do curso. Comentário: O aumento é substancial, pois o percentual de 40% era uma excepcionalidade na norma anterior, agora á regra. Além disso, não há mais exigência de curso reconhecido para usar o EAD § 1º O Projeto Pedagógico do Curso - PPC deve apresentar claramente, na matriz curricular, o percentual de carga horária a distância e indicar as metodologias a serem utilizadas, no momento do protocolo dos pedidos de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento de curso. Comentário: Este dispositivo legal traz um tema interessante: as “metodologias a serem utilizadas”. Esta menção deixa claro que o EAD é uma modalidade e que a norma trata de uma mistura de modalidades, nesse sentido, “cursos híbridos”, não apenas de um curso presencial com metodologias usadas no EAD, o que antes de 2018 era denominado “disciplinas semipresenciais”. § 2º A introdução de carga horária a distância em cursos presenciais fica condicionada à observância das Diretrizes Curriculares Nacionais - DCN dos Cursos de Graduação Superior, definidas pelo Conselho Nacional de Educação - CNE, quando houver. Comentário: Essa seria uma boa solução para todos os cursos, inclusive medicina, cada DCN definirá se e quanto pode ser usada a modalidade EAD em cursos presenciais. § 3º As atividades extracurriculares que utilizarem metodologias EaD serão consideradas para fins de cômputo do limite de 40% de que trata o caput. Comentário: Esse parágrafo soluciona uma dúvida recorrente de algumas IES, mas é importante deixar claro que práticas supervisionadas, por exemplo, não são EAD, ou seja, atividade com supervisão docente é presencial (Resolução CNE/CES 03/2018), mesmo que não existam aulas ou encontros semanais na sede da Instituição. § 4º Os processos de pedidos de autorização de cursos ofertados por IES não credenciada para EaD, em que houver previsão de introdução de carga horária a distância, não serão dispensados de avaliação externa in loco. § 5º As universidades e os centros universitários, nos limites de sua autonomia, observado o disposto no art. 41 do Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017, devem registrar o percentual de oferta de carga horária a distância no momento da informação de criação de seus cursos à Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do Ministério da Educação - SERES-MEC. § 6º A introdução opcional de carga horária na modalidade de EaD prevista no caput não desobriga a IES do cumprimento do disposto no art. 47 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, em cada curso de graduação. Comentário: Aparentemente, a referência aqui é ao “caput” do Art. 47, que exige “no mínimo, duzentos dias de trabalho acadêmico efetivo”, mas, como exposto acima, há contradição da norma aqui analisada com o parágrafo terceiro desse mesmo artigo da LDB. Art. 3º Todas as atividades presenciais pedagógicas do curso que ofertar carga horária na modalidade de EaD devem ser realizadas exclusivamente no endereço de oferta desse curso, conforme ato autorizativo. Comentário: Difícil saber qual seria o objetivo dessa regra: Evitar atividades obrigatórias de disciplinas EAD dos cursos presenciais em polos? Impedir atividades presenciais, como aulas de disciplinas presenciais, em polos? Por se tratar de um curso presencial, autorizado para local determinado, essas situações obviamente são irregulares. Art. 4º A oferta de carga horária a distância em cursos presenciais deverá incluir métodos e práticas de ensino-aprendizagem que incorporem o uso integrado de Tecnologias de Informação e Comunicação - TIC para a realização dos objetivos pedagógicos, material didático específico bem como para a mediação de docentes, tutores e profissionais da educação com formação e qualificação em nível compatível com o previsto no PPC e no plano de ensino da disciplina. Parágrafo único. O PPC deverá detalhar a forma de integralização da carga horária das disciplinas ofertadas parcial ou integralmente a distância, e o plano de ensino da disciplina deverá descrever as atividades realizadas. Comentários: As duas regras frisam apenas que o PPC deve tratar da carga horária EAD de forma detalhada, nesse sentido repetem o Art. 2º, § 1º. Repetem, também, os termos do Art. 1º do Decreto 9.057/2017. A novidade é a referencia direta, no parágrafo único, aos planos de ensino das disciplinas. Art. 5º A oferta de carga horária na modalidade de EaD em cursos presenciais deve ser amplamente informada aos estudantes matriculados no curso no período letivo anterior à sua oferta e divulgada nos processos seletivos, sendo identificados, de maneira objetiva, os conteúdos, as disciplinas, as metodologias e as formas de avaliação. Parágrafo único. Para os cursos em funcionamento, a introdução de carga horária a distância deve ocorrer em período letivo posterior à alteração do PPC. Comentários: Esse artigo é importante porque responde a outra dúvida do mercado, neste caso sobre em que momento e circunstâncias pode ser implantada a carga horária EAD. O problema é que alunos de períodos posteriores deveriam ter o direito de optar por qual dos projetos pedagógicos desejariam aderir, mas isto não ficou claro. Art. 6º As IES devem informar no cadastro e-MEC a oferta de carga horária a distância para os cursos presenciais que venham a ser autorizados e aqueles já em funcionamento, cujo o projeto pedagógico contemple os termos dispostos nesta Portaria. Comentário, esta norma complementa o direito de informação tratado acima, neste caso aplicando-o aos candidatos a cursos futuros, que podem ver, antecipadamente, os níveis de virtualização de cada curso. Há, porém, um certo preconceito quanto ao EAD, pois outras variações de metodologia (uso de metodologias ativas, quantidade de horas complementares, uso de práticas supervisionadas ou carga horária do estágio) não precisam ser informadas. Art. 7º Na fase de Parecer Final dos processos de autorização de cursos presenciais, a possibilidade da oferta de carga horária a distância, até o limite de 40% da carga horária total do curso, além dos critérios estabelecidos pela Portaria Normativa MEC nº 20, de 21 de dezembro de 2017, está sujeita à obtenção, pelo curso, de conceito igual ou superior a três em todos os indicadores a seguir: I - Metodologia; II - Atividades de tutoria; III - Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA; e IV - Tecnologias de Informação e Comunicação - TIC. § 1º O não atendimento ao critério definido neste artigo ensejará o indeferimento do pedido de autorização do curso. Comentário: A regra tem simetria com a prática atual do MEC baseada em “padrões decisórios”. Apesar disso, ressalvamos nosso ponto de vista quanto ao uso de indicadores isolados como critérios de avaliação, afinal, a Lei 10.871/2004 trata os conceitos como média final. § 2º Não serão permitidas alterações no PPC do curso, no âmbito do processo regulatório, após a realização da avaliação in loco. Comentário: No § 2º, a fase de avaliação in loco é escolhida como ponto de corte para aplicação do critério criado acima, contudo, a nosso ver, a regra só pode ser aplicada a processos novos, que forem propostos a partir da data da Portaria. Esse é um tema que já foi discutido no Judiciário e os órgãos regulares deveriam aprender com as causas que perderam. Art. 8º Na fase de Parecer Final dos processos de reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos presenciais, será analisada a possibilidade de manutenção da oferta de carga horária a distância, até o limite de 40% da carga horária total do curso, se, além de atendidos os critérios estabelecidos pela Portaria Normativa MEC nº 20, de 2017, o curso obtiver conceito igual ou superior a três em todos os indicadores a seguir: I - Metodologia; II - Atividades de tutoria; III - Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA; e IV - Tecnologias de Informação e Comunicação - TIC. Parágrafo único. Nos casos em que não forem atendidos os critérios definidos neste artigo, caberá a aplicação dos procedimentos previstos pelos arts. 52 e seguintes do Decreto nº 9.235, de 2017. Comentário: O parágrafo único do artigo trata da possibilidade de imposição de protocolo de compromisso ou até de “reconhecimento de curso para fins de expedição e registro dos diplomas dos estudantes já matriculados”. Art. 9º A Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior disponibilizará em até sessenta dias as funcionalidades do Sistema e-MEC necessárias para a implementação das disposições previstas nesta Portaria. Parágrafo único. Após a criação das funcionalidades no Sistema e-MEC, os processos de cursos presenciais em que houver previsão de introdução de carga horária a distância, protocolados anteriormente à publicação desta Portaria, terão tramitação prioritária. Comentários: Esse artigo trata da funcionalidade que tornará possível o 6º, desta Portaria, além disso, deixa claro que deverá ser usado um algoritmo que considerará introdução de carga horária a distância como critério para a prioridade. O problema, semântico, talvez, é que não fica claro em relação a quais processos serão prioritário: seriam todos os demais processos? Seria prioridade quanto aos processos futuros com a dita previsão de de EAD? Impossível saber em face da redação do artigo. Art. 10. Fica revogada a Portaria MEC nº 1.428, de 28 de dezembro de 2018.

30-11-2019 - Bolsas de estudos e chance em Portugal: saiba o que é possível fazer com a nota do Enem

Após participar do exame, o candidato pode usar o desempenho nas provas para cursar o ensino superior no Brasil e no exterior. Ingressar no ensino superior está mais perto para quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Com a nota alcançada no maior exame de acesso ao ensino superior do país, o estudante pode entrar em uma universidade pública, participar de programas de bolsas e financiamento estudantil em instituições privadas e até ir estudar em Portugal. Os resultados individuais no exame podem ser usados nos processos seletivos de 47 instituições de ensino superior portuguesas, que definem as regras e os pesos das notas, no chamado Enem Portugal. Foi com essa iniciativa que Júlia Guimarães passou a ser uma das estudantes de Engenharia Química na Universidade de Coimbra. “Quando soube do ingresso em universidades portuguesas pelo Enem, eu fiquei encantada e fui atrás de mais informações”, afirma a estudante de 21 anos. No 5º semestre do curso, Júlia destaca que a experiência é muito enriquecedora. “Além de ter um currículo reconhecido, há muitos eventos, palestras e programas que a universidade proporciona em várias áreas. Também há facilidades para buscar estágio”, acrescenta. Os convênios são firmados pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC). “Toda a oportunidade que a gente possa dar ao estudante brasileiro, dele se abrir para o mundo, buscar conhecimentos novos, é enriquecedora, e este é um trabalho muito importante para o Inep”, afirma o presidente do Inep, Alexandre Lopes. Vale lembrar aos interessados que a revalidação de diplomas e o exercício profissional no Brasil dos estudantes formados em Portugal estão sujeitos à legislação brasileira. As instituições de Portugal são responsáveis por comunicar as regras aos candidatos. Saiba quais são os programas em que o estudante pode usar a nota do Enem: Sistema de Seleção Unificada (Sisu) - O estudante que participou do Enem de 2019 e quer estudar em uma universidade federal pode realizar a inscrição no Sisu no primeiro semestre de 2020. Para concorrer a uma vaga pelo programa, é preciso ter obtido uma nota acima de zero na redação. Ao efetuar a inscrição, o candidato deve escolher até duas opções de cursos ofertados pelas instituições participantes. Ao final, o sistema seleciona os mais bem classificados em cada curso, de acordo com as notas no Enem e eventuais ponderações, como pesos atribuídos às notas ou bônus. Caso o desempenho do candidato permita o ingresso nos dois cursos, prevalecerá a primeira opção, com apenas uma chamada para matrícula; Programa Universidade Para Todos (ProUni) - O estudante que estiver de olho em instituições privadas de ensino superior pode concorrer a bolsas integrais (100%) e parciais (50%) por meio do ProUni. Para se inscrever na iniciativa, o estudante que participou de alguma edição do Enem desde 2010 deve ter obtido média de ao menos 450 pontos e não terzerado a redação. Para bolsas parciais, a renda familiar bruta mensal do candidato deverá ser de até três salários mínimos por pessoa. Já o benefício integral, exige que o ganho seja de até um salário mínimo e meio por pessoa. As bolsas são dadas em cima dos valores cobrados na mensalidade de instituições de ensino privadas. O Enem também pode ajudar os estudantes a realizar o sonho de estudar no exterior; Ingresso direto - Para realizar o ingresso direto em uma faculdade particular, o estudante não precisa realizar provas nem pagar taxas, apenas se inscrever no site ou diretamente na instituição de interesse e aguardar o resultado da seleção. Para participar, é necessário que o estudante tenha feito alguma edição do Enem desde 2010 sem zerar nenhuma das provas. A estudante do 2º semestre de psicologia, Amanda Alves, 24 anos, disse que esse era um dos focos de seus estudos e que o processo é muito simples. “Encaminhei a minha nota para a instituição e já tive resposta na hora. Consegui uma bolsa de 30% em razão do meu desempenho. O desconto é muito importante para me manter no curso”, afirma; Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) - Com a nota do Enem, o candidato também pode concorrer a uma vaga pelo Fies. O programa está dividido em duas modalidades: juros zero a quem mais precisa (renda familiar de até três salários mínimos por pessoa) e escala de financiamento que varia conforme a renda familiar do candidato. Para participar, as regras são as mesmas do ProUni: o candidato que participou de qualquer edição do Enem desde 2010 precisa ter desempenho de pelo menos 450 pontos média nas provas e não zerar a redação. A outra modalidade, o Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies), é para alunos com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. Nesse caso, o programa funciona com recursos dos Fundos Constitucionais e de bancos privados participantes. Fontes: Dyelle Menezes e Guilherme Pera, do Portal MEC - 27.11.2019 e Revista Gestão Universitária.

17-11-2019 - Como elaborar o capítulo da Revisão de Literatura de um Artigo Técnico-científico.

Prezados (as) graduandos (as) e pós-graduandos (as), O capítulo da “Revisão de Literatura” ou “Referencial Teórico” de um TCC é uma das partes mais importantes de uma produção científica. Nele vocês estabelecerão a relação dialógica entre o que já se produziu acerca da temática do artigo e seu posicionamento crítico, levando em consideração: o problema; as questões norteadoras; e, os objetivos do estudo. Retomem o que vocês escreveram no projeto de pesquisa ampliando a “Revisão de Literatura” por meio de livros, artigos, monografias, dissertações, teses, relatórios, legislação (se for o caso), anais de eventos técnico-científicos, entre outros similares, tanto em formato físico quanto digital. A partir do que dizem os expoentes da literatura sobre a temática escolhida por vocês, preparem o texto do capítulo em epígrafe, com o uso de citações (diretas, indiretas e citação de citação), mas, logo depois de cada citação, exponham suas inferências em relação ao que dizem os teóricos sobre o tema, sempre estabelecendo o link com o caso concreto (o objeto investigativo escolhido por vocês). O texto deve ser claro, direto e objetivo, sem adjetivações, em uma linguagem puramente científica. Lembre que o artigo, incluindo as “Referências” não pode ultrapassar 25 páginas (laudas). Mãos-à-obra! Professor Luiz Carlos dos Santos

14-11-2019 - Dezoito estados receberão recursos para incentivar ensino médio em tempo integral

Mais de R$ 118 milhões serão repassados pelo Ministério da Educação para a iniciativa. Dezoito estados serão os beneficiados com R$ 118,3 milhões do Ministério da Educação (MEC) para implementar o ensino médio em tempo integral. Os recursos são destinados a obras, compra de equipamentos ou despesas de custeio, como energia elétrica e água, por exemplo. Os recursos são a segunda parcela do programa de fomento ao ensino médio em tempo integral. A primeira foi liberada em novembro de 2018. Ao todo, são 1.027 escolas que já participam da iniciativa. As instituições de ensino participantes possuem uma carga horária superior a 35 horas semanais — ou 7 diárias. A carga horária do ensino médio não integral no Brasil é de 20 horas semanais — 4 horas por dia. Com a reforma do ensino médio, aumentará para 25 e 5, respectivamente. A relação de estados está em portaria (http://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-1.992-de-11-de-2019-227384915), publicada nesta terça-feira, 11 de novembro, no Diário Oficial da União (DOU). A verba será repassada por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Confira o repasse dos recursos por estado: Acre: R$ 552.482,95; Alagoas: R$ 5.312.575,79; Amazonas: R$ 7.344.899,04; Ceará: R$ 19.545.878,70; Goiás: R$ 12.935.223,51; Maranhão: R$ 12.928.401,01; Mato Grosso do Sul: R$ 1.663.645,88; Pará: R$ 1.747.415,87; Paraíba: R$ 2.431.298,58; Pernambuco: R$ 15.157.530,10; Piauí: R$ 9.675.167,52; Rio de Janeiro: R$ 10.266.045,04; Rio Grande do Norte: R$ 944.270,88; Rondônia: R$ 1.667.308,38; Santa Catarina: R$ 717.039,48; Sergipe: R$ 31.549,67; São Paulo: R$ 12.260.613,49; e, Tocantins: R$ 3.071.533,56. Fonte: Dyelle Menezes, do Portal MEC - 12.11.2019 e Revista Gestão Universitária.

13-11-2019 - 13 de novembro

1822 - A vila de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, é elevada a cidade. 1845 - Morre o general Rondeau, que participou da luta pela emancipação da Argentina. 1860 - O presidente peruano Ramón Castilla promulga uma nova constituição, que permanece vigente até 1960. 1921 - Morre no exílio, em Paris, a Princesa Isabel. 1934 - O governo italiano determina que é obrigatório o uso de uniformes nas salas de aula. 1935 - No Egito, revoltas contra a presença britânica eclodem no país inteiro. 1940 - Estréia Fantasia, filme da companhia Disney. 1943 - Foi criada a FEB, Força Expedicionária Brasileira, contingente militar que participou da Segunda Guerra Mundial. 1945 - A Assembléia Nacional Constituinte francesa proclama o general Charles de Gaulle chefe do governo provisional. 1955 - Na Argentina, o general Pedro Aramburu é eleito presidente. 1958 - Na União Soviética, um novo plano econômico prevê crescimento industrial de 80% em sete anos. 1970 - As obras de terraplanagem são iniciadas para a construção do Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro. 1970 - Hafez al-Assad lidera um golpe de estado militar e sobe ao poder da Síria. 1971 - Entra em órbita a sonda norte-americana Mariner IX, para o estudo do planeta Marte. 1985 - A erupção do vulcão Nevada Del Ruiz causa a morte de mais de 20 mil pessoas na Colômbia. 1987 - Os Estados Unidos elevam as taxas sobre importados do Brasil. 1992 - Oficiais militares tentam, sem sucesso, assassinar o presidente peruano Alberto Fujimori e derrubar o seu governo. 1994 - Onze alpinistas morrem ao cair de uma encosta do Himalaia, no Nepal. A queda teria sido provocada por uma avalanche. 1997 - Um crise nas bolsas de valores dos países asiáticos atinge todo o mundo financeiro, incluindo Estados Unidos e América Latina. 1997 - Cientistas divulgam a possibilidade de existir água em Marte.

21-10-2019 - Concurso para policiais militares e bombeiros abre inscrições - Quase 1.500 vagas

Depois de quase dois anos desde o último concurso, o governo estadual abre inscrições nesta segunda-feira (21) para os interessados na carreira militar. Com a oferta de mil vagas para a Polícia Militar (QPPM) e 250 para o Corpo de Bombeiros (QPBM), o processo seletivo pretende ainda oferecer outras 1.250 vagas, que deverão ser preenchidas até 2021. Assim como em 2017, a seleção está sob a responsabilidade do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) e será composta de duas etapas: a primeira de provas objetivas de conhecimentos gerais e de conhecimentos específicos, e a segunda de prova discursiva. Para concorrer a uma das vagas, o candidato ou candidata deverá ter idade entre 18 e 30 anos, ser brasileiro ou português, ter concluído o ensino médio ou uma formação profissionalizante correspondente, possuir habilitação na categoria B e uma altura mínima de 1,60m (para o sexo masculino) e 1,55 (para o sexo feminino). Além disso, o candidato precisa estar quite com as obrigações eleitorais e militares, ter aptidão física e mental e possuir idoneidade moral. Curso Vale salientar que o candidato aprovado realizará, inicialmente, o Curso de Formação de Soldado e do Corpo de Bombeiro, com direito a uma bolsa no valor de um salário mínimo. Uma vez que a formação esteja concluída, o estudante alcança o posto de soldado, com soldo de R$3.410,68 para uma jornada de 40 horas semanais de atuação em missões diversas da corporação. De acordo com o coordenador do curso Cers Múltipla, o advogado e professor Cesar Tavolieri, diferentemente de outros concursos da área de segurança pública, o Teste de Aptidão Física (TAF) da PM BA e do CBM BA só ocorre após a homologação do resultado final, na fase dos exames pré-admissionais."O policial, desse modo, inicia a carreira como Soldado PM 2ª Classe no curso de graduação e, após o término do curso de formação e do período de estágio probatório, estará apto a se enquadrar na graduação de Soldado da PM 1ª Classe", esclarece. O professor salienta que, após a primeira promoção, o policial poderá receber várias outras graduações de acordo com o tempo de serviço, por meio de abertura de vagas e realização de concursos internos, podendo chegar até a graduação de Subtenente Policial Militar. "Dados oficiais divulgados pelo IBGE em 2015, informam existir 1 PM para cada 473 habitantes no país. Menos de 10% do percentual é de mulheres. Segundo a ONU, o ideal seria de 450 habitantes por policial", diz Tavolieri, indicando a necessidade de que novas vagas sejam abertas para a corporação atender à sociedade. Atribuições de PMs e Bombeiros Policiamento. Execução do policiamento ostensivo fardado, nas diversas modalidades; Policiamento ostensivo de segurança, de trânsito urbano e rodoviário, de proteção ambiental, guarda de presídios e instalações vitais, além do relacionado com a prevenção criminal, justiça restaurativa, proteção e promoção aos direitos humanos, preservação e restauração da ordem pública. Prevenção. Atuação de maneira preventiva para dissuasão em locais ou áreas específicas e de maneira repressiva, em caso de perturbação da ordem; Garantia do exercício do poder de polícia aos órgãos públicos. Inteligência. Execução de atividades de inteligência, de forma integrada com o Sistema de Inteligência, e de participação em pesquisa, estatística e análise criminal; Defesa civil. Execução de atividades de defesa civil e de prevenção, combate a incêndios e a situações de pânico;Execução das ações de busca e resgate, suporte básico de vida e salvamento de pessoas e bens; Incêndios Atuação nas atividades de prevenção e extinção de incêndios florestais; Realização de inspeções e vistorias de estruturas, edificações e áreas de risco, bem como de perícias de incêndio e explosão. Fonte: Jornal Correio da Bahia, edição de 21/10/2019.

25-09-2019 - IBGE abre novo edital com 164 vagas para a Bahia com salário de até R$ 3,1 mil

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicou nesta quarta-feira (25) um novo edital de Processo Seletivo Simplificado com um total de 2.658 vagas temporárias para a realização do Censo Demográfico 2020, em todo o Brasil. Dessas, 164 são para a Bahia. Das 164 vagas abertas no estado, 96 são para o cargo de Coordenador Censitário de Subárea (CCS). Elas exigem nível médio completo e carteira de habilitação definitiva ou provisória, dentro do prazo de validade, no mínimo para a categoria B. Há 17 posições em Salvador, 2 em Feira de Santana, 2 em Camaçari e as demais no interior do estado, em 75 municípios (1 vaga por município). O cargo tem remuneração de R$ 3.100, e as inscrições no processo seletivo custam R$ 58. As outras 68 vagas são para o cargo de Agente Censitário Operacional (ACO), todas em Salvador, exigindo apenas nível médio completo. Têm remuneração de R$ 1.700, e as inscrições custam R$ 42,50. Para ambos os cargos, a jornada de trabalho será de 40 horas semanais, sendo 8 horas diárias. A previsão de duração do contrato é de até 12 meses, com renovação mensal, mediante avaliação do contratado. O prazo de 12 meses pode ser prorrogado, conforme previsto na lei nº 8.745, de 1993, caso haja necessidade e disponibilidade de recursos orçamentários. Todos os contratados farão jus aos auxílios alimentação, transporte e pré-escola, férias e 13º salário proporcionais. Há vagas reservadas a pessoas com deficiência e pessoas que se autodeclaram pretas ou pardas, dentro dos percentuais definidos na legislação. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) é a organizadora do processo seletivo, e as inscrições estão abertas desde as 10h de hoje (25/09/2019) até as 16h do dia 15/10/2019, pelo site https://www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/ibgepss2019. Nesse endereço, é possível também ver o edital completo, com o quadro de vagas por município. O Processo Seletivo Simplificado, para ambos os cargos, consistirá de uma prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, cuja realização está prevista para ocorrer no dia 8 de dezembro. Haverá prova em todos os municípios para os quais foram abertas vagas: 1.131 no país e 78 na Bahia, incluindo Salvador. A divulgação do resultado final deve ocorrer no dia 10 de janeiro de 2020. Fonte: Jornal Correio da Bahia, edição de 25/09/2019

25-09-2019 - Dia do Rádio

Hoje é o dia do Rádio, no Brasil neste dia, em 1984, nascia Edgard Roquette Pinto, responsável por fundar, quase 40 anos depois, a primeira emissora radiofônica do país – a rádio Sociedade do Rio de Janeiro. O Rádio é um meio de comunicação de massa fundamental na vida do cidadão e da comunidade a que ele pertence. O rádio convencional conhecido pelas siglas AM (Amplitude Modulada) e FM (frequência Modulada) é o mais ouvido. O rádio online também tem contribuição valiosa para os amantes da internet. As rádios comunitárias fazem parte do rol desempenhando papel relevante para a comunidade a que pertence. Mesmo com o avanço das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC’s), o rádio continua sendo um veículo bastante utilizado pelo cidadão brasileiro, que seus editores, radialistas e emissoras mostrem sempre os diferentes lados de uma notícia, por exemplo, para não manobrar a sociedade como um todo. Parabéns ao Rádio!

24-09-2019 - Reflexão do Dia

Pense: Ninguém vive só. A pequena planta jamais chegará a árvore se alguém não se preocupar todos os dias em lhe jogar água. Deixemos de lado, desde logo, qualquer espécie de egoísmo e procuremos nos relacionar bem com o outro. O amor e a amizade não são sentimentos inúteis e sim os únicos que conduzem à verdadeira felicidade. Lembre-se que acima de tudo, viver é conviver. Viver é uma questão de escolha - a vida pode ser uma passagem obscura perdida no tempo, ou um exemplo digno de ser imitado. É sempre aquilo que somos!

|<  <<  1 2 3 4 5 6 7 8 9   >>  >|